Declaração dos candidatos passou pela prova real

A NSC fez uma coisa inédita e interessanate que foi a chegaguem das informações e afirmatyivas dos candidatos. Algumas delas nos chamam atenção, como por exemplo:

 

Leonel Camasão

"Fazer concurso (para professores) porque mais da metade hoje são temporários e vivem uma condição de trabalho muito difícil". 

 

 

São 23.081 ACT’s e 18.584 professores efetivos. Os números constam no relatório da Secretaria de Estado da Educação de Agosto de 2017. O número de professores temporários representa 55,4% do total. Portanto, a informação do candidato Camasão está exata. 

24720571.png

Leonel Camasão

"Tem que fechar as ADRs (Agências de Desenvolvimento Regional) que consomem R$ 400 milhões por ano".

Em 2015 e 2016 os custos estiveram na casa dos R$ 400 milhões, conforme afirmou o candidato, mas o último relatório do Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina (TCE-SC), de 2017, aponta um gasto estimado de R$ 644,6 milhões com as Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). Portanto, um valor R$ 244,6 milhões acima do citado pelo candidato. Você pode acessar o relatório nesse link, página 64.

Criadas em 2003, então intituladas como Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional (SDRs), essas unidades já tiveram um custo ainda maior. Por exemplo, em 2014, conforme relatório do TCE-SC, a despesa do governo do Estado com as SDRs ultrapassou os R$ 875 milhões. 

Em 2010, as despesas com as então SDRs alcançaram os R$ 735,67 milhões. Como já foi noticiado pelo Diário Catarinenseos gastos do Estado com as ADRs em 2016 chegaram a R$ 444,3 milhões e, em 2015, a R$ 403,6 milhões.  

Leonel Camasão

"Fecharam mais de 58 escolas nesses últimos 16 anos".

Camasão está certo ao afirmar que houve desativação de escolas da rede estadual em Santa Catarina nos últimos 16 anos, mas o total registrado nesse período é 3,4 vezes maior, conforme apontam os dados oficiais. Desde 2002, Santa Catarina declarou como extintas 198 unidades educacionais que pertenciam à rede estadual. 

Os dados são do Censo Escolar, com informações coletadas anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), subordinado ao Ministério da Educação e responsável pela produção de estatísticas do ensino no Brasil. Apenas em 2017, foram 49 instituições desativadas definitivamente. 

São unidades que prestavam atendimento de pré-escola, ensinos fundamental e médio e educação de jovens e adultos. Os dados referentes ao Censo Escolar 2018 ainda não estão disponíveis. Os casos são analisados com base na resolução 18/2018 do Conselho Estadual de Educação, atualizada em julho deste ano, mas a interrupção da atividade das escolas pode ser decidida pela Secretaria da Educação sem aval prévio dos conselheiros. 

 

Leonel Camasão

"No atual governo, a saúde de Santa Catarina está com fila de espera de 500 mil pessoas".

Santa Catarina somava 541.309 procedimentos (exames, consultas, cirurgias) na fila de espera para realização até junho, segundo relatório enviado ao Prova Real pela assessoria da Secretaria do Estado da Saúde. O número, portanto, não representa o total de pacientes, considerando que uma mesma pessoa pode ser submetida a mais de um procedimento.

O Governo do Estado disponibiliza neste portal a lista de espera do SUS. No entanto, não é possível extrair o número total de pessoas na fila em todos os procedimentos.

Jessé Pereira

"O efetivo da PM há 30 anos atrás era de 13 mil homens, hoje estamos com efetivo de dez mil e um pouquinho, sendo que a população duplicou".

 

Atualmente, Santa Catarina tem um efetivo de 10,4 mil policiais na ativa, segundo o Portal da Transparência do Estado. O número realmente é menor que há 30 anos. Em 1987, a lei estadual 7.159 de 17 de dezembro daquele ano estabeleceu o efetivo da PM em 13.008 — a legislação foi atualizada com o passar dos anos, prevendo quadros ampliados de oficiais e praças na corporação. A Associação dos Praças de Santa Catarina (Aprasc) confirma que o efetivo militar era de 13 mil servidores nos últimos anos da década de 1980.

Sobre a população, atualmente o Estado tem mais de 7 milhões de habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na década de 1980, o havia 3,6 milhões conforme o censo de 1980. 

Comandante Moisés

"Lei 17.305 de 2017 autorizou o Estado a garantir empréstimos de R$ 1,1 bilhão para investir na eletrificação rural".

 

Em outubro do ano passado, os deputados estaduais aprovaram empréstimo de R$ 1,1 bilhão para a Celesc. A proposta autorizou o governo do Estado a prestar contragarantia em operação de crédito entre a Celesc e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

 

 

 

Comandante Moisés

"Santa Catarina é um Estado que realmente precisa de fortes investimentos em infraestrutura, não só em rodovias, que estão mais de 70% em condições ruins ou péssimas".

 

Segundo o relatório da Confederação Nacional de Transportes (CNT) divulgado em novembro de 2017, dos 3.249 quilômetros de estradas federais e estaduais avaliadas em Santa Catarina, 23,9% estão em condições ruins e 4,2% foram consideradas péssimas. Portanto, percentual abaixo do mencionado pelo candidato. Além disso, 35,6% estão em condições regulares. O restante (36,3%) se apresentam boas (25,4%) ou ótimas (10,9%).

Debate foi morno como toda a campanha

O debate realizado pela NSC TV, ontem à noite, foi morno como todos os demais realizados nesta campanha. Nenhum dos candidatos conseguiu empolgar. Nos questionamentos e nas respostas não houve sequer uma novidade do que já foi posto durante a campanha.

24720421.jpg

Para mim, os que se saíram melhor foi o Leonel Camasão (Psol) e o comandante Moisés (PSL). Aliás, este último se mostrou bem preparado, equilibrado e bastante lúcido em suas propostas.

Mauro Mariani se mostrou um tanto inseguro e Gelson Merísio muito na defensiva, com foco apenas em mostrar que SC não tem problemas graças aos governos do PSD. Quis pegar o Mariani no contrapé ao questioná-lo em quem votará no segundo turno. Como resposta foi chamado de oportunista por aderir à onda bolsonita e biruta de aeroporto que vai conforme leva o vento.

De longe o pior desempenho foi de Jessé Pereira, do Patriota. O coordenador de sua campanha, Godinho, não o preparou para este embate.

Na realidade os programas de governo de todos têm muita coisa em comum: o fim da ADRs, redução nas despesas com o corte de comissionados – Merísio diz que cortará 1.200 cargos deixando apenas 200 – Aumento do efetivo policial (Merísio diz que vai chamar 5 mil PMs da reserva e Mariani prega a contratação de pelo menos mais 500 por ano elevando de 10 para 13 mil o contingente) e quanto a dívida do estado, a opinião de todos é o pacto federativo, para que o dinheiro dos impostos recolhido pela União volte para o estado.

Jorginho é multado em R$ 100 mil por propaganda irregular

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral confirmou nesta terça-feira (2), a condenação de Jorginho Mello por propaganda irregular contra Raimundo Colombo, candidato a senador pela coligação “Aqui é trabalho”. O vídeo trazia situações sobre saúde pública em Santa Catarina.
 
Por unanimidade, os sete juízes que compõem o pleno do TRE/SC decidiram manter a multa de R$ 100 mil aplicada em primeira instância a Jorginho Mello e à coligação.
 
Informação do Processo: Rp nº 0601986-35.2018.6.24.0000

Debate da NSC, nesta terça checará declarações em tempo real

O Prova Real realiza nesta terça-feira (2) a checagem em tempo real das declarações de candidatos ao governo de Santa Cantarina durante o debate da NSC TV, que começa após a novela Segundo Sol. As verificações serão postadas no Twitter ao vivo do Diário Catarinense — @aovivodc — e o resultado completo da checagem estará na página do Prova Real e no site NSC Total. Seis jornalistas, com metodologia certificada para checagem de discursos, atuarão para garantir a iniciativa inédita nas eleições em Santa Catarina.

Participam do último debate antes do primeiro turno das eleições, em ordem alfabética: Comandante Carlos Moisés (PSL), Décio Lima (PT), Gelson Merisio (PSD), Leonel Camasão (PSOL), Jessé Pereira (Patriota) e Mauro Mariani (MDB). O debate terá quatro blocos. O primeiro turno das eleições 2018 ocorre no próximo domingo (7).

Tabelionato de Lages entre os melhores do país

O 4º Tabelionato de Notas e Protesto de Lages está concorrendo, com mais 15 serventias catarinenses, ao Prêmio Qualidade Total 2018, que anualmente certifica os melhores cartórios do País. Recentemente, a unidade investiu em informatização, capacitação de equipe e padronização de procedimentos, o que garante economia, agilidade e segurança jurídica para os seus usuários.

De acordo com Miguel Ortale, presidente da Anoreg/SC, entidade que representa a categoria no Estado, inovação é marca registrada das serventias locais, que constantemente modernizam seus processos. 

Temporal derrubou ginásio de esportes em Campo Belo do Sul

1601f5d2_a062_487c_baf3_6ebb392fb8b8.jpg

 
“Foi assustador. Toda sorte não estar acontecendo atividade coletiva de esportes naquele momento. Sábado participei da inauguração do ginásio com cerca de 500 pessoas dentro e na segunda-feira, o temporal nos causou este prejuízo”. O relato é do prefeito de Campo Belo do Sul, José Tadeu Martins de Oliveira que estima prejuízo que pode atingir R$ 1 milhão.
Diversas residências, empresas e prédios públicos como escolas foram atingidas pelo vendaval acompanhado de chuva, ocorrido por volta das 14h30min. O ginásio de esportes Max Gol Arena, com campo sintético de propriedade do professor de educação física e ex-vereador Max Branco de Moraes foi a estrutura mais impactada pelo temporal.
“Cerca de 50% da cobertura desabou ou foi arrancada. Para se ter ideia da força do vento, até o pé direito que sustenta a estrutura da cobertura foi arrancado. Deu efeito dominó a destruição”, relata Max Branco. Ele estava com a equipe de limpeza no ginásio, no momento do temporal preparando o local para evento à noite. Eles só não se feriram, porque se abrigaram no vestiário.
 
b05540f9_63b9_4164_b28d_09b2e8a3a358.jpg
 
De acordo com o prefeito, outras duas residências tiveram prejuízos mais significativos com destelhamento e ao menos outras 30 tiveram danos diversos parciais. Algumas empresas e escolas públicas também sofreram ação do temporal e os prejuízos estão sendo apurados pela Defesa Civil de Campo Belo do Sul.
A prefeitura está prestando assistência com lonas e telhas às famílias atingidas pelo temporal e segundo o prefeito já foi feito contato com a Defesa Civil Estadual para tentar algum tipo de apoio para restabelecer a normalidade. Até final desta semana, o levantamento dos danos causados pelo temporal deve estar concluído.
Fotos: Oneris Lopes

Prefeito de Rio Rufino está apoiando Mariani

7c0567cc_5fa6_4ec2_94b9_e5e3da473b3c.jpg

Prefeito Thiago Costa, de Rio Rufino, do PSB e o vice Jair Pires (do PP) sacramentaram nesta terça-feira, apoio a chapa majoritária da Coligação SC quer Mais.

66a24d1a_5971_4278_a7fd_6bf4fd0a53c6.jpg

O secretário da ADR e coordenador regional do partido, Juarez Matos esteve em Rio Rufino, quando reuniu-se com ambos e o presidente da Câmara, Valdecir Donisete do Rosário (PR), o vereador Rafael Mendes (MDB, o presidente do PR, José Amarildo Costa e o presidente do MDB, Orgarino Sartori.

Candidato Merísio faz o contraponto de uma informação que vem sendo divulgada nas redes sociais

O texto que vem sendo divulgado pela internet é maldoso, tem afirmações falsas e caluniosas. Gelson Merisio é casado há 30 anos, tem dois filhos, e sua situação patrimonial é absolutamente legal. Para Merisio, toda e qualquer investigação sobre pessoa pública é necessária e fundamental. Considera muito importante que uma pessoa com cargo público tenha sua vida virada do avesso.

Vale esclarecer que qualquer cidadão pode fazer representação junto a qualquer órgão competente para apuração. A investigação é que pode confirma-la ou não. Neste caso, Gelson Merisio desconhece, até o momento, o citado procedimento preparatório junto ao MPF. Mas reafirma que, se necessário, está disponível para prestar os esclarecimentos o mais rápido possível, prezando pela transparência e pela verdade.

 

Tempo de TV já não é o mais importante em uma campanha eleitoral

A propaganda eleitoral gratuita no rádio e TV termina nesta quinta-feira. Das muitas pessoas que consultei durante este período, nenhuma delas acompanhou o programa eleitoral na TV. Apenas aquelas acostumadas a ouvir rádio acabaram ouvindo um ou outro programa.

Especialistas já antecipavam que este sistema de propaganda iria perder importância na medida em que cresciam a participação das redes sociais. De fato, há candidatos sem tempo de TV, como Jair Bolsonaro (PSL) e as pesquisas mostram que está na frente da corrida eleitoral. Sem ter gasto dinheiro para isso.

Enquanto que o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin dispõe de espaço vantajoso na televisão, mas mal aparece nas redes sociais. Alckmin arrecadou R$ 51 milhões para a campanha (sendo que quase todo ele do fundo partidário) e gastou 40% dos recursos, R$ 18,8 milhões apenas com o marketing, incluindo ai a produção dos programas. Produziu peças belíssimas com grande qualidade técnica na TV, mas parece que não surtiu efeito algum em termos de soma de votos. Claro que ai também falhou a estratégia utilizada.

O avanço da tecnologia também provoca mudanças em novos hábitos e na nossa maneira de interagir com o mundo.

Se usamos o wahsApp para nos comunicar até com as pessoas dentro de nossas casas, é também pelo celular e as redes sociais que nos chegam as informações de forma instantânea. Não podemos imaginar hoje que alguém pare, sentada em frente a uma televisão para ver o horário de propaganda política.

Veja, por exemplo, que quando o candidato da coligação “Aqui é trabalho”, Gelson Merísio, decidiu dar a notícia-bomba de seu apoio a Jair Bolsonaro, semana passada, usou a live do Facebook para mandar a mensagem. Não esperou gravar o programa do horário eleitoral para dar a notícia.

Em toda a campanha, até aqui, não vi repercussão alguma que dos que os candidatos expuseram nos programas. Os assuntos que repercutiram vieram das entrevistas dadas e nos poucos debates realizados durante o período. Creio eu que este modelo de propaganda já teve seus dias de glória.

Comando do Samu não autorizou o Águia 4 transportar pacientes

Mauricio01.jpg

O vereador Maurício Batalha (PPS) está fazendo um requerimento para que o comando do Samu explique uma situação que ocorreu no final de semana.

"Ontem chegou ao meu conhecimento de que foram solicitados dois deslocamentos do helicóptero para a capital: um para atender uma criança e outro de um idoso. Primeiro não autorizaram o Águia a levantar voo para fazer esta transferência por solicitação do médico e do hospital. Veio o Arcanjo de Blumenau e fez a transferência da criança. E, pasmem, um dia antes do dia do Idoso, teve de ir por terra porque o Samu não autorizou o Águia de levantar voo. É um desrespeito com qualquer cidadão. Não tem desculpa se tem um equipamento pronto para decolar," disse o vereador.

Segundo ele, não foi a primeira vez que isso aconteceu.