Cerca de R$ 500 milhões recuperados em 2020

O trabalho de acompanhamento e auditoria dos registros de movimentação econômica prestados pela produção primária, indústria, comércio e serviços na região da Amures, teve incremento aproximado de R$ 500 milhões este ano. A informação é do responsável pelo setor de Movimento Econômico da associação de municípios, Adilsom Branco.
Segundo ele, o incremento se deve a partir da correção de possíveis omissões ou erros cometidos por contribuintes. “Estes valores estavam se perdendo por alguma razão nas declarações e recuperamos para o bolo geral da região. E incidirá no retorno de ICMS aos municípios a partir de 2021”, explica Adilsom Branco.
Para recuperar tais valores, o setor de movimento econômico da Amures atuou forte na chamada “fase de recursos”, em outubro. Foram elaborados 35 processos administrativos e protocolados junto a Secretaria de Estado da Fazenda. Nesta fase foram totalizados mais de R$ 210 milhões em valor adicionado recuperados.

Capela Mortuária do cemitério da Penha está em construção

As obras de construção da Capela Mortuária do Cemitério Nossa Senhora da Penha estão em andamento. A estrutura física bruta está quase toda concluída. Os serviços avançam para as fases de acabamentos e pinturas. Os trabalhos estão sendo executadas pela empresa responsável, contrata pelo Município, por meio de licitação.
As obras estão sendo executadas com recursos próprios do Município, na ordem de R$ 328.849,83. A Capela Mortuária do Cemitério Nossa Senhora da Penha terá duas salas para velórios, cozinha e banheiros.

Prefeito Celso Rogério vai gastar R$ 3.8 milhões na pavimentação de 15 ruas

O prefeito de Correia Pinto e presidente da Amures Celso Rogério Alves Ribeiro confirmou esta semana, a liberação de operação de crédito no valor de R$ 3.8 milhões para pavimentação de 15 ruas em seis bairros. Os recursos são do Ministério do Desenvolvimento Regional que selecionou, propostas de todo Brasil para incluir no Programa Avançar Cidades.
Este programa federal está dividido em dois grupos, conforme o porte do município. O grupo 1 é composto por cidades com até 250 mil habitantes e o grupo 2, inclui os centros urbanos com população superior a 250 mil habitantes. Para viabilizar a operação de crédito, o prefeito Celso Rogério sinalizou com uma contrapartida de R$ 201 mil, de recursos próprios do município.
“Importante dizer que saneamos as finanças e resgatamos a capacidade de endividamento do município. Do contrário não poderíamos realizar esta operação de crédito e atender as demandas da nossa população”, comentou o prefeito. O financiamento do Avançar Cidades prevê 12 meses de carência e 240 meses para pagamento.
Os bairros a serem atendidos com pavimentação de ruas serão: São João, São Cristóvão (Florestal), São Pedro, Nossa Senhora Consoladora, Pró-Flor e Centro. De acordo com o prefeito, já foi autorizado licitar as obras nas ruas Olintho D`Avila Mesquita, Macieiras, Rosas e Antônio Daniel Andrade. O total de investimento nas pavimentações será de R$ 4.030.220,40, contratados junto à Caixa Econômica Federal (CEF).

Trechos contempladas –Avançar Cidades

Bairro São João

Alagoas (Da JK até a rua Guatemala)
Rio Grande do Norte (Da JK até a rua Uruguai)
Uruguai (Da Pernambuco até a rua Ceará)
Darci R.P. Batista (Da Rio G. Sul até a rua Uruguai)
Rio Grande do Sul (Da Chile até a rua México)

Bairro São Cristóvão (Florestal)

Moisés Pereira (Da Germano Neto até a rua Osvaldo S. Duarte)
Alfredo Paes Freitas (Da Osvaldo S. Duarte até a rua Idalina S. Silva)
Germano A. Neto (Da Alfredo P. Freitas até a rua Lindório A.A. Santos)

Bairro São Pedro

Guimarães Rosa (Da Luiz de Camões até a rua Carlos Gomes)
Castro Alves (Da Guimarães Rosa até a rua Machado de Assis)

Bairro Nossa Senhora Consoladora

Orvalino Mazieiro (Da Ema Cevey até a rua José Alves Ribeiro)

A licitar

Olintho D`Avila Mesquita (Centro)
Macieiras e Rosas (Pró-Flor)
Antônio Daniel Andrade (Nossa S. Consoladora).

Prefeito explica a respeito do financiamento obtido para as pavimentações:

Para os próximos meses as chuvas ficam abaixo da média

Os meses de novembro, dezembro e janeiro devem ter chuva abaixo da média em Santa Catarina, distribuídas de forma irregular no tempo e no espaço. A previsão climática indica a ocorrência de dias consecutivos sem chuva. Em novembro a chuva pode ser ainda mais escassa. O cenário é reflexo da atuação do fenômeno La Niña.

A temperatura deve ficar acima da média climatológica. Em novembro e dezembro, as massas de ar quente atuarão com mais frequência e serão cada vez mais duradouras. Mas, ainda podem ocorrer episódios isolados, com temperatura mais baixa na madrugada e amanhecer, com geada fraca nas áreas altas do Planalto Sul. Nevoeiros associados à nebulosidade baixa, com redução de visibilidade são característicos da primavera.