E o caso Sinotruk

 

 

 

De acordo com o prefeito Elizeu Mattos, a licitação para a terraplenagem do terreno da Sinotruk será providenciada com maior agilidade, após a reforma do projeto e análise do masterplan (estudo vocacional da área a ser construída que permite traçar as diretrizes de ocupação do local, otimizando sua utilização e possibilitando a valorização de lotes mais afastados).

 

Mill Serras e Madeireira Olímpio

 

Sobre a atividade da Madeireira Olímpio (bairro São Miguel) e da indústria Mill Serras (bairro Ferrovia), de equipamentos para serrarias, que enfrentam impasses diante do crescimento urbano (proximidade com residências, etc.), a prefeitura já está priorizando desapropriações para suas novas instalações. Para se ter ideia da projeção dos benefícios com as mudanças, a Mill Serras, para exemplificar, deverá gerar mais 110 postos de trabalho em seu novo parque fabril.

 

 

Lages terá fábrica de lâmpadas de LED

 

 

 

 

Lages_receber___f__brica_de_l__mpadas_LED_com_marca_espanhola.jpg

Foto:Nilton Wolff

 

A instalação de uma empresa espanhola voltada à produção de lâmpadas LED foi uma das novidades da reunião realizada essa semana entre o prefeito Elizeu Mattos; o secretário do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Luís Carlos Pinheiro Filho; o secretário da Administração, Pedro Marcos Ortiz; um dos diretores do Desenvolvimento Econômico, Álvaro Mondadori; o presidente da SC Parcerias, Paulo Cesar da Costa (Costinha); o consultor de Assuntos Estratégicos do Governo do Estado de Santa Catarina, Marcelo Schlichting,e o secretário de Desenvolvimento Regional, Jurandi Agustini.

 

 

As lâmpadas LED (Light Emitting Diode, ou Diodo Emissor de Luz) proporcionam até 80% de economia de energia em comparação com as tradicionais.

 

 

Para acabar com a corrupção nas prefeituras

 

 

A tolerância ao erro e a impunidade levam a corrupção. Se não acontece nada com o corrupto, inconscientemente o servidor fica mais descontraído no cumprimento de seu dever. Com esta declaração o coordenador do Núcleo de Ações de Prevenções a Corrupção da Controladoria Geral da União em Santa Catarina (CGU/SC), Rodrigo de Bona da Silva abriu ontem as oficinas temáticas, no segundo dia do Programa de Fortalecimento da Gestão Pública, na Uniplac.

Oficina_CGU..JPG

Fotos: Oneris Lopes

Um dos principais desafios do evento é mostrar aos mais de 150 participantes, a responsabilidade do servidor público. “Uma questão básica em termos de controle administrativo são os controles de estoques das prefeituras. O servidor tem de ter as guias assinadas e isso nem sempre é cumprido”, adverte Rodrigo da Silva.

 

 

Oficinas_CGU__5_.JPG

Nas oficinas temáticas é dada ênfase à pequena corrupção que parece imperceptível nas prefeituras. Elas decorrem na maior parte dos casos, das fragilidades nos mecanismos de controle interno. 

Nessa parceria da Controladoria Geral da União com a Amures que viabilizou o treinamento aos 18 municípios da Serra Catarinense, uma das constatações é que os procedimentos internos nas prefeituras não estão sistematizados. 

 

Enfim, o projeto de reajuste está tramitando

 

 

 

 

O Projeto de Lei Complementar 3/2013, que trata do reajuste do salário mínimo catarinense, foi aprovado durante reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na manhã de ontem, com relatório favorável do deputado Dirceu Dresch (PT). O parlamentar agora articular com os demais deputados para que o projeto seja votado em plenário ainda esta semana.

 

120313_CCJ_EGO__1_.jpg

 

Deputado defende que projeto siga para o plenário com urgência:“O trabalhador não pode esperar mais, por isso queremos que esse projeto seja aprovado esta semana”

 
 
Os valores
 

O projeto fixa os novos valores das quatro faixas salariais que compõem o piso entre R$ 765 e R$ 875. Em seu relatório, o petista destacou que os percentuais de reajuste foram discutidos e acordados entre representantes das cinco centrais sindicais de trabalhadores e a entidade representativa do setor patronal no estado. 

 

A menor faixa salarial vai subir de R$ 700 para R$ 765, o que representa 12,83% a mais que o novo salário mínimo nacional, reajustado para R$ 678 no mês janeiro. A segunda faixa sobe de R$ 725 para R$ 793; a terceira passa de R$ 764 para R$ 835; e a quarta faixa aumenta de R$ 800 para R$ 875.

Paternidade fará jantar

Festa_002.jpg

Foto: Marciano Corrêa

 

 

O Instituto Paternidade já agendou com o Clube Caça, o dia da realização de um jantar beneficente, para custear projetos de prevenção às drogas e a gravidez na adolescência. O objetivo além da contribuição com os projetos é reunir pessoas para confraternizar ideias que abrangerão crianças e adolescentes, de um trabalho social que há mais de 09 anos acontece em Lages.
 
O Jantar Show acontece em maio.
 

Começou a restauração do Colégio Rosa

 

 

Ontem, o secretário de Desenvolvimento Regional, Jurandi Agustini, acompanhou a restauração do Colégio Rosa. As obras iniciaram há onze dias, e o contrato prevê o prazo de um ano para a conclusão.

 

2__4_.jpg

Fotos Fábio Ramos

 

O terreno foi cercado por tapumes, e os operários estão trabalhando no subsolo e nas duas salas localizadas ao lado do prédio principal.

 

4__2_.jpg

 O Governo do Estado investirá mais de R$ 5 milhões para transformar a centenária edificação em um moderno espaço que agregará atividades ligadas à cultura, educação, turismo e lazer. As tratativas para que o Serviço Social do Comércio (Sesc) administre o local estão bem encaminhadas.

Os ex-presidentes da SCGás

 

O presidente da SCGÁS, Cosme Polese, reuniu ontem, em Florianópolis, ex-presidentes que comandaram a SCGás  desde o início de sua operação.

Lá estavam  Roberto Makiolke Wolowski (1994-1997), Arno Bollmann (1997-1998), Otair Becker (2003-2006) e Altamir José Paes (2011). Além deles, Ivan Cesar Ranzolin, que não pôde comparecer, presidiu a empresa entre 2007 e 2010 e o falecido Luiz Gomes presidiu a SCGÁS no período de 1999 a 2003.

Dos sete presidentes, três são serranos: Altamir, Ranzolin e o atual Cosme.

12.03.13___Almoco_Ex_Presidentes_SCGAS__Foto_Gabriel_Heusi_.jpg

Ranzolin não estava presente

 

Com a reunião, Polêse quis compartilhar os atuais resultados e os novos desafios da companhia com os antigos gestores, corresponsáveis pelo importante papel social que a SCGÁS desenvolve no estado.

Foram apresentados os dados de evolução da empresa, que atualmente atende com gás natural mais de 100 mil consumidores de 59 municípios catarinenses e distribui quase 2 milhões de m³ por dia do insumo através de uma rede de  gasodutos superior a mil quilômetros.

Foi explanado também sobre os atuais desafios impostos a SCGÁS que busca a ampliação da oferta de gás natural para que seus projetos de interiorização e democratização da oferta do produto sejam ampliados.

 

Jorginho quer mudança no Código de Trânsito

 

 

A Câmara analisa o Projeto de Lei 4782/12, do deputado Jorginho Mello (PR-SC), que atribui a responsabilidade pela fabricação e lacração das placas de veículos automotores a pessoas físicas ou jurídicas credenciadas pelos órgãos executivos de trânsito dos estados e do Distrito Federal.

O projeto altera o Código Brasileiro de Trânsito (Lei 9.503/97), que hoje estabelece apenas que o veículo deve ser identificado externamente por meio de placas dianteira e traseira, sendo estas lacradas em sua estrutura, obedecidas as especificações e modelos estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

 

 

O autor do projeto destaca que o Código não especifica qual órgão tem competência para fixar por meio de lacre as placas de identificação nos veículos.

“O artigo em questão dá margens para que pessoas ou empresas não credenciadas pelos órgãos executivos de trânsito possam realizar a lacração das placas nos veículos”, observa. “Essa omissão legal facilita a prática de crimes, dentre os quais podemos citar o roubo de veículos, placas clonadas, desmanches fraudulentos e desvio de carros para as fronteiras”, complementa.

Desmatamento no Cerrito

 

 

 

A Polícia Militar Ambiental (PMA) de Lages encontrou ontem, na localidade de Campina Dorgelo, interior de São José do Cerrito, um desmatamento de 187 araucárias. A polícia chegou até o local através de denúncia anônima e encontrou as toras das árvores jogadas em duas propriedades.

 

Araucaria1.JPG

Olha só a dimensão desse pinheiro

 

Em uma área de 0,10 hectares, foram encontradas 13 araucárias e em outra área vizinha de 2,6 hectares, foram localizadas 174 toras de pinheiro brasileiro ou como é mais conhecida, a araucária.

 

Araucaria2.JPG

Os proprietários das duas áreas são irmãos e foram notificados através de um auto de infração ambiental. Eles responderão processo criminal e ambiental, devido ao corte ilegal de espécie nativa. O valor da multa ainda não foi fixado, porque mais diligências deverão ser feitas nos locais, a fim de averiguar se há mais desmatamento nas áreas.