200 policiais estão envolvidos na Operação Stricke para desbaratar o tráfico de drogas na Serra e capital

A Polícia Civil de Santa Catarina desencadeou nesta sexta-feira (16) a Operação Stricke contra o tráfico de drogas em cidades da Serra e da Grande Florianópolis. Estão sendo cumpridos 53 mandados de prisão e 62 mandados de busca e apreensão.

A coordenação é da Delegacia de Polícia de Bom Retiro. Foram mobilizados 200 policiais. Há buscas em Bom Retiro, Alfredo Wagner, Ituporanga, Palhoça e São José. Os números preliminares pela manhã indicam ao menos 29 pessoas presas. A Operação é realizada com o apoio da Polícia Militar e do GAECO de Lages.

Segundo o delegado da DP de Bom Retiro responsável pela Operação, Ricardo Guedes, foram dois anos de investigação contra o bando por organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico. O delegado destaca a importância da ação conjunta com o Ministério Público de SC no caso por meio de um PIC (Procedimento Investigatório Criminal).

“A base da organização criminosa era Bom Retiro, mas havia ramificações também na Grande Florianópolis. Apreendemos na ação de hoje armas, drogas e balança de precisão”, assinalou o delegado. Os presos deverão ser encaminhados para o sistema prisional em Lages. Houve atuação também do Canil da Polícia Civil de Campos Novos, do Canil da PM e do SAER da Polícia Civil.

É uma mega operação em que foi utilizado até helicóptero.

Justiça recebe denúncia contra comerciante que matou a família em Alfredo Wagner

A Justiça recebeu nesta quinta-feira (15/8) denúncia contra o comerciante acusado de matar uma família em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis, em ocorrência registrada na última sexta (9). Agora réu no processo, ele responde pelos homicídios de três vítimas: um homem, uma mulher e o filho do casal, de apenas oito anos. Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), as mortes foram provocadas com golpes de instrumento contundente ou corto-contundente na região da cabeça das vítimas.

A peça aponta que os delitos foram cometidos por motivo fútil, visto que o denunciado era conhecido das vítimas e tinha desavenças com o casal em decorrência de uma dívida. A acusação também atribui as qualificadoras de meio cruel e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa das vítimas. O MP acrescenta, ainda, que por duas vezes o acusado agiu de forma a assegurar a impunidade de outros crimes, além de que uma vítima tinha menos de 14 anos e outra, mais de 60 anos de idade. Por fim, a promotoria requer o andamento do feito e o julgamento do acusado perante o Tribunal do Júri.

O processo tramita na comarca de Bom Retiro. O juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior, responsável pelo recebimento da denúncia, também determinou o prazo de 15 dias para que a autoridade policial cumpra uma série de diligências complementares a pedido do Ministério Público. Entre outras medidas, deverão ser realizadas perícias em um celular e em objetos apreendidos, além de ser promovida a reprodução simulada dos fatos. A mesma decisão determina a quebra do sigilo de dados telefônicos e telemáticos, em período específico, dos celulares usados pelo réu e pelo casal de vítimas (Autos n. 0000555-83.2019.8.24.0009).

Aprovado projeto que proíbe a inauguração de obras públicas incompletas

O Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou em turno único, na sessão desta quarta-feira (14), o Projeto de Lei (PL) 5/2019, de autoria do deputado Jair Miotto (PSC), que proíbe a inauguração de obras públicas incompletas ou que não atendam o fim para o qual foram construídas. A proposta ainda terá a Redação Final votada antes de seguir para análise do governador Carlos Moisés da Silva (PSL).

“O poder público precisa melhorar sua imagem. É muito ruim para essa imagem a inauguração de obras que não são concluídas. Não adianta construir o prédio de um hospital e inaugurá-lo, sem que tenha os equipamentos e os profissionais necessários para o seu funcionamento”, comentou Miotto.

A proposta recebeu emenda do deputado Milton Hobus (PSD), que amplia o alcance do projeto aos demais poderes e órgãos do estado. Ela também especifica que a obra não poderá ser inaugurada sem as licenças e alvarás necessários para o funcionamento e se não contar com os equipamentos e pessoais essenciais para o atendimento ao público. Por esta lei, a Câmara de Vereadores de Lages não poderia estar funcionando em sua sede, pois até hoje não tem o “Habite-se”.

Vice de Tito Freitas não foi convidado para viajar a Brasília

O prefeito e vice de Capão Alto já não vivem mais o tempo de paz e amor. A decisão do prefeito Tito Freitas (PP) de levar o sogro do filho, o secretário da Administração, Fernando Reis e o vereador do MDB, Jaisson Moraes para lhe acompanhar na viagem a Brasília foi a causadora das desavenças. O vice, Zezo Pires (MDB) não foi sequer comunicado da viagem e foi preterido até mesmo por um vereador do seu partido. Tito e os demais seguem para Brasília na segunda-feira.

Vereadores cobram do governador a abertura da nova ala do Tereza Ramos

“É esta a nova política que está acontecendo, deixando gente morrer dentro da UPA e a maternidade com 80 leitos sobrando não pode colocar esta gente lá dentro para ser atendida. Gostaria que este governo Moisés fizesse alguma coisa pelo povo. Até agora não mostrou para que veio. Achou melhor aumentar impostos do que atender as pessoas”. Isso foi dito pelo vereador João Chagas (PSC), ao cobrar a abertura da nova ala do Hospital Tereza Ramos. Ele apresentou requerimento pedindo que a diretora do Hospital Tereza Ramos vá à Câmara dar explicações e dizer quando será ativada esta estrutura.

David Moro aproveitou a fala de Chagas para criticar a “nova política, do modus operandi do atual governo do estado que se preocupa unicamente em criar impostos e disse preferir a velha, “onde as coisas aconteciam”.

Diz que ao invés de colocar os novos leitos à disposição da população, fecha as alas em funcionamento. Atribui isso à falta de experiência administrativa do governador Moisés. Os vereadores Maurício Batalha, Lucas Neves, Pedro Figueredo e Amarildo Farias estiveram na semana passada no Hospital Tereza Ramos, quando a diretora levou cerca de meia hora para vir atendê-los.

Lembramos que esta mesma direção já tinha informado que para visitar a unidade era preciso agendar.  A mesa diretora contestou esta normatização dizendo que como representantes do povo os vereadores tinham o direto de visitar e o dever de fiscalizar. Desta reunião com a direção, segundo Amarildo Farias, se constatou que precisam de 800 funcionários para tocar a nova ala e não há previsão de contratação e nem a forma com que isso será feito. “Portanto, até se definir e fazer o encaminhamento do processo vai mais um ano. Podemos esquecer que a ativação da nova ala ocorra antes do segundo semestre do ano que vem”, disse ele.

“Incrivelmente naquele dia em que tivemos lá, no outro dia abriram nove leitos. Por que não fizeram isso antes?” indagou. O presidente Vone Scheuermann sugeriu que os vereadores se unam à Amures e demais instituições e vão a Florianópolis para pressionar o governo. “Nem que tenhamos de contratar um ou dois ônibus para nós irmos”, disse Vone.

 

Deputado marca audiência pública para discutir a respeito da Serra do Corvo Branco

O deputado Volnei Weber solicitou nesta quarta-feira (14), à Comissão de Turismo e Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina, uma audiência pública no município de Urubici. A mesma tem o propósito de levar a debate o atual estado do projeto sobre a pavimentação da Serra do Corvo Branco (SC-370).

De acordo com Weber, o turismo é considerado um dos maiores agentes econômicos do estado, representando mais de 13% do PIB. O roteiro de serras com nossas baixas temperaturas no inverno e nossas belas serras, atraem pessoas de todo país e mundo para conhecê-las.

‘’Somos sabedores do potencial turístico da região serrana. Esperamos do governo, que após os investimentos, a tão sonhada obra aguardada pela região seja executada. Já a audiência será de extrema importância para as pessoas manifestar suas posições, e assim o governo veja a real necessidade’’.

A Comissão de Turismo aprovou o requerimento, e a audiência está marcada para o dia 07 de outubro, às 19 horas em Urubici.

Carmen recebe prefeitos e vereadores em Brasília

Deputada Carmen Zanotto recebeu os prefeitos representantes da Amures e vereadores hoje no gabinete em Brasília.

Prefeito de Cerro Negro, Adenilson Conrado; o prefeito de Bom Retiro e presidente da Amures, Vilmar Neckel; vereador Paulo César Moraes de Bom Retiro; vereador Orley de Souza, de Bom Retiro, além de Selênio. do Cisama.

Convite entregue:

A pedido da Amures a deputada Carmen Zanotto entregou ao Ministto de Turismo, Marcelo Álvaro Antônio o convite para participar da solenidade de comemoração dos 51 anos da associação que acontece no dia 29 de agosto.

Projeto de Marcius foi vetado pelo governador

Foto: Mirella Guedes

“Não faz sentido, sob a ótica da razoabilidade, se restringir o acesso às carreiras da polícia militar por critérios isolados de altura. Há situação onde candidatos são impedidos de ingressarem nas carreiras da PM por diferença de 0,5 cm da altura mínima exigida no edital do concurso. Por fim, acabam judicializando pelo seu direito constitucional de acesso ao cargo público”, disse o deputado Marcius Machado (PL) ao tomar conhecimento do veto do governador Moisés ao seu projeto que altera a altura mínima para homens e mulheres que querem fazer concurso para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros em SC (para 1,60 m para os homens e 1,55 m para mulheres).

Ressalta que o objetivo de PLC é garantir o tratamento igualitário a todos os candidatos do concurso, como estabelece a Constituição Federal. Segundo o deputado Marcius, é preciso criar alternativas compatíveis com a proposta e então acabar com eventuais desigualdades.