Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

 

Lages.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Transferência da capital: um assunto polêmico

Teve gente que achou absurdo o deputado Marcius Machado (PR) trazer à discussão da Assembleia a proposta de mudança da capital do estado para Lages. Mas, como ele explica, nada mais fez do que retomar a constituição estadual que nas disposições transitórias previa que em 1994 seria realizado um plebiscito para consulta à população sobre a mudança da capital. Quando da elaboração da constituição estadual, em 1989 já se tinha o entendimento de que isso era necessário a deslitoralização do estado.

Para tanto era preciso que se aprovasse uma Lei complementar para a sua realização, o que não ocorreu. “Contudo este plebiscito pode acontecer a qualquer tempo”, lembra Marcius. Como ele mesmo faz questão de ressaltar, isso não seria coisa para acontecer de um momento para outro, mas a ser construído ao longo do tempo.

Por exemplo: qualquer estrutura que seja necessária construir hoje, que ao invés de ser em Florianópolis que a faça em Lages. Assim, aos poucos vai levando a estrutura para o interior. A grande verdade, como cita o deputado, a qualidade de vida, na capital caiu muito, especialmente por falta de mobilidade urbana. Só para se deslocar de um lado para outro da cidade leva horas, há dificuldade para estacionar, sem contar que é uma das capitais com o custo de vida mais alto. Se hoje a capital já não comporta a população que tem, como será daqui a 20 anos?

ponte_hercilio_luz.jpg

Marcius lembra o quanto já se gastou para a revitalização da ponte Hercílio Luz e o quanto ainda vai gastar para concluir, sem que vá fazer qualquer diferença em termos de trânsito. As duas pontes que permitem a entrada e saída da ilha consumirão milhões para a recuperação, mas já não comportam o tráfego intenso.

 

27540525_1804105979608266_7436303396065587562_n_500x250.jpg

Pontes Colombo Salles e pedro Ivo Campos já apresentam problemas

Qual será a solução? Restringir a entrada e saída das pessoas? Algo terá de ser feito e as soluções não serão baratas.

O deputado lembra que Florianópolis foi construída para a defesa dos país contra os espanhóis e não para ser a capital. A sua situação geográfica não favorece. Portanto, longe de ser um tema proibido ou absurdo, na concepção de alguns, é um debate necessário e Marcius teve coragem de colocá-lo na mesa.

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código