Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

 

Lages.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Impasse sobre a eleição da Câmara está travando a votação de projetos em Bocaina

53065704_567275397123502_5889394593773912064_n_2.jpg

Este desabafo que está circulando nas redes sociais se refere aos prejuízos que o município está passando por causa da questão da eleição para escolha do presidente da Câmara que aconteceu ainda no ano passado. 

A oposição está questionando a legalidade, uma vez que aconteceu antes do prazo (duas sessões antes do recesso, pegando a oposição de surpresa).  A população que acompanha as sessões está reclamando do ridículo.

Os vereadores da oposição comparecem à sessão, mas se ausentam quando as matérias são colocadas em votação. Eles estão aguardando a decisão da justiça, já que estão questionando a legalidade da eleição.

 Leia o que publiquei a respeito da eleição, no ano passado:

Manobra na eleição do novo presidente da Câmara de Bocaina

 

É o absurdo do desmando o que aconteceu na Câmara de Vereadores de Bocaina do Sul. Uma série de irregularidades marcou a eleição do novo presidente do legislativo. A começar com a data da realização.

O regimento interno determina que ela aconteça na última sessão do ano. Mas, foi realizada no dia 22 de novembro, faltando três sessões para o termino dos trabalhos do ano.

Neste dia, dois vereadores licenciados que integram o secretariado do prefeito Luiz Schmuler - João Tadeu Assink (MDB), secretário da Administração e, Maryana de Liz (PP), secretária da Saúde – apareceram no início da sessão, sem prévio anúncio, e retomaram suas vagas na Câmara para surpresa dos suplentes que ocupavam as vagas: Soraia Schlichting (MDB) e Laércio Schlemper (DEM).

João Assink (Jaga) se candidatou à presidência e foi eleito uma vez que dos nove vereadores só dois são oposição. No final da mesma sessão, ambos os vereadores se licenciaram novamente para retomarem seus cargos na prefeitura.

 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código