Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

 

251.jpg

 

unnamed_18.jpg

 

Arquivo

 
Direção do presídio explica como uma empresa pode se habilitar para usar a mão de obra dos presos

0_24.jpg

O coordenador administrativo do Presídio Masculino de Lages (PML), Vinícius Meregalli, apresentou nesta segunda feira, aos empresários da Acil, o projeto “Ressocializando apenados através do trabalho”, que tem o objetivo de realizar parcerias com empresas privadas para instalarem parte de seus processos de produção no Presídio, dando oportunidade de trabalho e renda aos internos.

Os benefícios para as empresas que participam desse projeto vão desde isenção de despesas com aluguel, água e luz até isenção de impostos trabalhistas. A empresa só terá o custo do salário do detento que é um salário mínimo. Deste valor 25% vai para o Fundo Penitenciário para realizar melhorias no sistema penitenciário, 25% é depositado em uma conta poupança que poderá ser resgatado somente após o cumprimento da pena e os outros 50% ficam disponíveis para o apenado, que na maioria das vezes repassam para a família.

Além da atividade remunerada, as vantagens para os detentos são a redução da pena em um dia a cada três dias trabalhados e a preparação para o mercado de trabalho. 

A empresa interessada em participar deste projeto, terá que preencher uma proposta de plano de trabalho e capacitação e entregar junto ao Presídio Masculino de Lages para análise. Se aprovado é assinado o termo de cooperação e a empresa pode iniciar a instalação de sua unidade no presídio, explicou Meregalli.

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código