Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

251.jpg

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

 

Arquivo

 
Paulo e Itamar afirmam que o material apreendido é deles e estavam negociando com Paulo Frontin. O negócio frustrou quando o prefeito conseguiu a decoração emprestada

Paulo Sérgio Ludwichak - em cuja propriedade a Gaeco fez a apreensão do material de decoração - foi o primeiro a ser ouvido pela CPI da Infelicidade nesta terça-feira.

paulo.jpg

Ele informou que o material apreendido pelo Gaeco ela deles (Itamar e Paulo). Haviam confeccionado porque estavam negociando a realização da decoração natalina da cidade de Paulo Frontin. Tiveram lá na cidade no dia 5 de julho, quando fizeram toda as medições e elaboraram o projeto.

Estavam confeccionando, quando então, em agosto, recebeu a informação da Secretária de Educação e Turismo da cidade que infelizmente não mais iriam negociar, porque o prefeito Sebastião Elias havia conseguido o material emprestado.

Como já estavam com essa material pronto, eles entraram em contato com o Beto Sanson que estava trabalhando nos projetos natalinos de Joaçãba, Caçador e outras cidade, para ver se conseguiam vendê-lo. Estavam negociando quando a Gaeco apreendeu o material.

 

Itamar.jpg

 

O segundo a dar testemunho, na noite desta terça-feira, foi Itamar Westephal Aguiar, que era o responsável pela execução do Natal Felicidade e responsável pelo barracão onde eram confeccionados e guardados o material.

Ele foi detalhista ao informar como chegou até a prefeitura de Paulo Frontin e disse que, quando esteve lá para negociar o serviço conversou com o prefeito e ele informou que tinha parentesco com o Sr. Beretta que atuava na prefeitura de Lages.

Quando a secretária de Paulo Frontin informou que o negócio não mais se realizaria, ela disse que o prefeito conseguiu o material emprestado, confirmou inclusive lendo toda a conversar trocada atraves do messenger.

Itamar diz que quando montaram toda a decoração natalina em dezembro de 2016, restaram alguns materiais no barracão que não foram recuperados, mas o restante tudo estava na rua. Ele entregou as duas chaves do barracão no dia 21 de dezembro quando foi exonerado.

Ele afirmou que em janeiro o Latino entrou em contato com ele e convidou-o a ir até o barracão para ver o material. Ele esteve lá no dia 20 confere a data citada por Belezinha), quando estavam trocando a fechadura e constatou que todo o material retirado da rua estava lá jogado, mas estava tudo lá. Ele disse estranhar que nos depoimentos de segunda-feira, não tenham, mencionado isso.

 

Ele quase chorou porque diz que pode provar que o material apreendido é dele e estava tentando ganhar dinheiro honestamente e nunca “passou por tamanha humilhação”.

Ana.jpg

Ana Lúcia Camargo Vieira que atuava na pasta do Turismo na outra administração e continua trabalhando lá, só confirmou que foi ela que passou o telefone de Itamar ao prefeito Sebastião Elias, que queria montar a decoração natalina em sua cidade e estava procurando quem poderia fazer o trabalho. Também confirmou que foi ela que repassou o relatório da secretaria à comissão de transição e nele continha a relação do material de decoração natalina que a prefeitura tinha colocado na rua.

Quinta, 14 de Dezembro de 2017 22:18
Escrito por: Olivete Salmória | Última atualização em Quinta, 14 de Dezembro de 2017 22:37

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código