Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

251.jpg

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

 

Arquivo

 
Dono da padaria diz que não sairá de Lages com a pecha de mentiroso

“Já perdi tudo o que investi em Lages e ainda não vou sair daqui por mentiroso”, disse o empresário Leo Maule que fechou as portas de sua padaria porque não conseguiu obter o alvará.

 

Ele havia dito que esteve por 16 vezes na prefeitura e não conseguiu conversar com o prefeito Ceron para relatar os abusos cometidos por dois fiscais da vigilância sanitária. O prefeito garante que ele só esteve por duas vezes lá (conforme declaração abaixo).

 

Mas Leo garante que tem testemunhas em todas as vezes que lá esteve desde desde janeiro deste ano até julho, quando foi a última que foi lá. “Inclusive o prefeito era meu freguês na padaria e um dia que esteve lá eu coloquei do problema e ele mandou eu passar na prefeitura”, conta.

Diz que estaria disposto até a se submeter a uma acareação com Ceron para comprovar tantas vezes que o procurou.

 

Leo tinha reunido todas as suas economias, depois de atuar em um restaurante e padaria em Joaçaba por muitos anos e veio para Lages para montar seu negócio. Em agosto do ano passado ele instalou sua padaria na Avenida Marechal Floriano, com oito funcionários e desde então estava tentando tirar o alvará.

Gastou os R$ 150 mil que tinha e ainda ficou devendo R$ 50 mil ao deixar Lages. Está indo para uma cidade vizinha onde o prefeito lhe chamou e prometeu ajudar para que possa montar seu negócio.

 

Ele teve inclusive seu CNPJ cancelado. Perdeu negócios importantes que projetavam a possibilidade de contratação de mais cinco funcionários, mas com a impossibilidade de fornecer nota, teve de abandonar tudo.

 

Quando esteve na Rádio Clube relatando sua situação, dois outros empresários ligaram dizendo que também estavam fechando seus negócios pela mesma razão. Um com 50 funcionários e outro com 20, que também estão deixando a cidade. Leo citou outros empresários como do Açougue Oliveira, na Habitação, e o que tem o carrinho de lanche ao lado da Flex, que podem relatar o que os dois fiscais da vigilância estão fazendo com eles. “Estão solicitando do carrinho de lanche a construção de três banheiros”, conta ele. 

 

Parece que estes fiscais têm fixação em banheiros...

Quinta, 30 de Novembro de 2017 13:00
Escrito por: Olivete Salmória | Última atualização em Quinta, 30 de Novembro de 2017 14:52

Comentários  

 
#2 Vladimir Leskow 30-11-2017 18:45
Não são só esses casos. A INCOMPETÊNCIA e os interesses escusos parecem estar norteando os rumos da atual (des)admnistraç ão municipal.
 
 
#1 Névio S. filho 30-11-2017 13:53
Vergonhoso em vez de Lages gerar empregos está extinguindo empregos justamente por assédio de fiscais. Mafia de fiscais isso é crime.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código