Olivete Salmória
salmoriaolivete@gmail.com


Parceiros

251.jpg

 

lages_parque_jonas_ramos_peq.jpg

 

Arquivo

 
Relato preocupante com relação ao atendimento do Pronto Atendimento

Só acompanhe este relato de Mariana Branco que na sessão da Câmara desta segunda-feira foi citado pelo vereador Lucas Neves:

Gente , agora que recebi alta estou medicada e graças a Deus na minha casa vou contar para vocês o que ouve comigo. 
Na quinta-feira dia 21/09 passei mal no meu serviço, estava com muita falta de ar e dor no tórax, fui ao pronto socorro por volta de 13hrs30m , fiz á ficha me chamaram para medir minha pressão chegando lá as enfermeiras perguntaram se eu tinha reação alérgica á algum medicamento , falei que "NÃO SABIA". Porque eu não sabia mesmo, o correto era ter feito um teste do medicamento no meu olho, mas enfim.... Aguardei até ser chamada pelo médico que mal me olhou durante a consulta , e acredite estava mexendo no celular , perguntou meus sintomas e logo falou que se tratava da minha coluna , me passou uma injeção para ser aplicada no bumbum para eu fazer ali mesmo e ser encaminhada para casa , tomei a injeção, logo comecei a sentir uma ardência muito forte no meu rosto ; chamei o enfermeiro e perguntei o que poderia ter sido , ele falou que tinha sido uma reação alérgica ao medicamento, logo veio outro enfermeiro com mais duas injeções para cortar o efeito , uma no meu braço e a outra no bumbum novamente. Fui liberada para casa , como as medicações eram fortes dormi , sentia que meu corpo estava pegando fogo mas achava que era normal , na sexta-feira acordei com meu corpo lotado de grosseiras e muita dor na cabeça aonde eu sentia que estava dormente e cossava muito , fui até o posto de saúde e a doutora informou que eu estava com a reação alérgica no corpo ainda , tomei mais uma injeção e vim para casa. Comecei a inchar e com muita náusea e dor no corpo por volta das 20hrs fui ao pronto socorro , chegando lá as enfermeiras se assustaram e me passaram na frente , quando cheguei no consultório cheguei a dar risada de nervoso porque peguei um médico louco que trabalhava no posto de saúde aqui do meu bairro, ele me olhou falou que era uma reação alérgica e me disse para tomar mais uma injeção, avisei a ele que já teria tomado a tarde e ele me respondeu , *Não tem problema* tomei a injeção com medo , e recebi alta. Quando cheguei em casa , não conseguia mais me olhar no espelho de tão inchada que eu tava , sentia que estava faltando meu ar , que estava passando mal. Minha mãe insistiu para voltarmos até o pronto socorro ; cheguei la umas 22hrs novamente , o médico me olhou e disse : "Nossa como você inchou" vamos aplicar mais uma injeção e fazer duas bolsas e soro com remédio, falei pra minha mãe: Não vou fazer , tô com medo. E ele novamente falou, não tem problema. Fiz a injeção e as duas bolsas de soro estava parecendo o fofão de tão inchada que eu tava , falava pra ele: -Está me faltando o ar , estou sentindo que tá trancando a minha garganta e ele dizendo , não ja passa. Saí do hospital umas duas e meia da manhã se eu não me engano , vim pra casa e passei a noite inteira delirando, com falta de ar e muita coceira pelo corpo. No sábado senti que meu coração estava acelerado ; afinal tomei 6 injeções antialérgica e uma para dor em menos de 48hrs , sentia que estava fraca , e a cada minuto a dificuldade para respirar estava complicada ; passei o dia inteiro de cama chorando assustada com meu estava , mas falava pra minha mãe que não iria voltar , porque estava com medo. Chegou umas 20hrs da noite pedi para minha mãe que me levasse até a emergência do HOSPITAL NOSSA SENHORA DOS PRAZERES porque eu estava sentindo que minha glote estava trancando e meu coração estava acelerado demais , imediatamente fomos até o hospital fui encaminhada para a emergência aonde fui muito , mas MUITO bem tratada. Como eu tinha consultado no pronto socorro eles não sabiam se os médicos iam me atender ali , mas eles conseguiram me encaixar num quadro de risco. Fui direto para a sala de emergência e colocada diretamente no "OXIGÊNIO " estava entrando em parada CARDIORRESPIRATÓRIA meu coração estava batendo a 149 por minuto , vieram três médicos me atender , mas eu não sabia a medicação que teria feito eu reagir daquele maneira, pois no pronto socorro falaram que para eu pegar o nome teria que ser só na segunda-feira, os médicos decidiram me deixar internada , para controlar a alergia e a falta de ar , gente sem explicação para o atendimento do hospital nossa senhora dos prazeres , se eu não tivesse ido diretamente até lá no sábado e fosse até o pronto socorro esta hora eu já não estaria mais aqui para contar isso a vocês. Pois com certeza iam me aplicar mais uma injeção e eu ia bater as botas! 
Tive que fazer um tratamento para desintoxicar das injeções que eu teria feito , sentia meu corpo cheirar somente remédio, estou com dificuldades para respirar ainda, estou inchada e com algumas lesões pelo corpo , mas graças a Deus todo o susto passou , agora é só me recuperar e pronto socorro , nunca mais! 
Se vocês não souberem que tem alergia ao medicamento peçam para fazer um teste primeiro para não passaram pelo mesmo que passei. Só tenho a agradecer a Deus por ter me dado esse livramento e a todos que me ajudaram de alguma forma. Obrigado de coração.

Mariana Branco

22045776_876013869230499_1072179487474612954_n.jpg

21768100_876013839230502_9069471289786636215_n.jpg

Certamente ela teria morrido se tivesse voltado ao pronto Atendimento onde já tinha recebido seis injeções contra a alergia. Teveriam de ter encaminhado para atendimento especializado já da primeira vez.

 

Comentários  

 
#1 Névio S. Filho 27-09-2017 16:25
A saúde em Lages parece aqueles filmes de terror, não me admira que as pessoas quase morram.
 

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar Código