Câmara aguarda resultados dos exames de Batalha para tomar novas providências em sua rotina

Após apresentar sintomas de um resfriado, o vereador Mauricio Batalha Machado (Cidadania) procurou o Centro de Triagem para a Covid-19, onde foi medicado e fez testes no local. Na ocasião, o médico que o atendeu deferiu um atestado para isolamento social até o dia 19/7. O exame para detecção do Novo Coronavírus foi encaminhado para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-SC) e o resultado deve sair nesta terça ou quarta. Desde o dia 8 de julho, Mauricio está afastado da Câmara.

Caso o resultado seja positivo, a Câmara de Vereadores de Lages tomará novas medidas de prevenção em relação aos demais edis e servidores do Poder Legislativo que ocasionalmente possam ter tido contato com o suspeito. Afora este fato, a Câmara tem seguido as orientações de prevenção ao Novo Coronavírus decretadas pelo município, estado e Organização Mundial da Saúde.

Em março e abril, quando do anúncio dos primeiros casos da doença, a Presidência decretou ponto facultativo com a suspensão das atividades internas e externas do Legislativo. As sessões deliberativas passaram a ser realizadas de maneira remota, à distância, através de celulares, computadores e aplicativos, e permaneceram desta forma por quase três meses.

De maneira gradativa, os trabalhos foram retomados, com ênfase na obrigatoriedade do uso de máscaras, distanciamento social e revezamento nos setores com mais funcionários.

Carmen diz que em SC os pacientes não vão esperar dentro de ambulâncias por um leito de UTI

“Não vamos ver em Santa Catarina pacientes aguardando em ambulâncias para conseguir um leito de UTI”, reforçou, mais uma vez, a deputada Carmen Zanotto (Cidadania/SC). A parlamentar presidiu ontem (13), a reunião da Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 que debateu a situação da pandemia em Santa Catarina.

Carmen destacou como encaminhamentos: a busca dos pagamentos dos hospitais filantrópicos, a compra dos medicamentos, equipamentos e a contratação de mais profissionais.

O Ministério da Saúde confirmou a realização de um acordo bilateral com a embaixada do Uruguai para abastecer Santa Catarina com medicamentos sedativos.  “Precisamos do aval da Secretaria da Saúde sobre os estoques de medicamentos, mas garantimos o arcabouço jurídico junto à Anvisa, essa semana chegará o primeiro lote em Santa Catarina”, garantiu o Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Franco Duarte.

Franco estará em Florianópolis na quarta-feira (15) para verificar pessoalmente a crise da Covid-19 em Santa Catarina. O Ministério também anunciou o envio de 250 monitores.

De acordo com o Secretário André Motta Ribeiro, o Estado tem um estoque mínimo. “Alguns hospitais que estão com estoques zerados, mas não sabemos quais são, estamos empenhados em fazer a aquisição de equipamentos no exterior, mas nesse aspecto estamos com dificuldade”, justificou.

Em relação aos leitos, Santa Catarina colocou em operação 530 leitos de UTI. Ainda, segundo dados da Secretaria de Saúde, são 1.370 leitos de UTI, sendo que 700 estão ocupados com outras conformidades e 370 com Convid-19. Na Grande Florianópolis estão disponíveis entre 25 e 30 leitos de UTI para pacientes com coronavírus, na região da Foz são apenas 16.

Novas mortes sendo averiguadas. Quatro já confirmadas

Morreu mais uma pessoa (homem) pelo Covid-19 na noite de  segunda-feira e há mais dois casos sendo averiguados.

Infelizmente já era esperado que o pico da doença se daria no forte do inverno. Informação divulgada nesta manhã pelo comitê da crise:

“A Prefeitura de Lages confirma mais duas mortes por Coronavírus na cidade. Já são quatro óbitos desde o dia 8 de julho. Em respeito à família, os dados dos pacientes ficarão restritos às autoridades de Saúde.”

Uma das pessoas que faleceu é de Rio Rufino

Governo volta atrás e estabelece novas medidas para conter avanço do Covid-10

O governador Carlos Moisés decretou nesta segunda-feira, 13, novas medidas para promover o isolamento social em Santa Catarina nos próximos 14 dias. Pelo ato assinado pelo chefe do Executivo, que estará disponível no Diário Oficial do Estado, ficam proibidos nas próximas duas semanas eventos e competições esportivas organizados pela Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte) ou pela iniciativa privada. Também estão suspensas pelo mesmo período as atividades de cinemas, teatros, casas noturnas, museus, assim como a realização de eventos, shows e outros espetáculos que acarretem reunião de público.

Segundo Carlos Moisés, a medida tem por objetivo achatar a curva de contágio nas regiões catarinenses, para evitar um colapso do sistema hospitalar. “Queremos garantir que todos tenham atendimento caso seja necessário. É nisso que o Governo do Estado vem trabalhando desde o começo desta pandemia. Infelizmente ainda não temos uma vacina ou uma receita para combater a doença. Nós já ampliamos a oferta de leitos de UTI em quase 70%, porém o sistema está tensionado em algumas regiões. Precisamos ampliar o isolamento social para passar por esse período”, diz o governador.

Uma segunda morte por Covid-19 em Lages

A Prefeitura de Lages confirma a segunda morte por Coronavírus em Lages. Em respeito à família, os dados do paciente ficarão restritos às autoridades de Saúde, mas ao que parece se tratava da mãe do rapaz que faleceu recentemente, também de Coronavírus. Ele era natural de Urubici, mas residia há bastante tempo no bairro São Luiz e tinha muitas comorbidades como obesidade, diabetes e era cardíaco.

Vereador com suspeita de coronavírus

O vereador Maurício Batalha está em isolamento desde a semana passada (quarta-feira) aguardando resultado dos exames para ver se está ou não infectado pelo coronavírus.  Ainda não sei se pedirá ou não licença na Câmara.

Provavelmente não, pois a fase de quarentena é de 14 dias e só precisa se licenciar com  afastamento de mais de 15 dias.  Caso se afastasse quem assumiria seria Susana Duarte.

Há ainda a alternativa de acompanhar as sessões de forma remota.

Quem precisa de cirurgia urgente não está conseguindo por falta de leito. É o caso de Terezinha Vieira

Estou com uma tia internada no HNSP há duas semanas aguardando leito de UTI para poder fazer uma cirurgia delicada no cérebro. A cada dia que passa o estado de saúde dela se agrava. Internou consciente, conversando, bem lúcida e agora já está apresentando sequelas. É uma inflamação que gerou um coágulo no lóbulo frontal. A família está correndo, mas sem nenhum retorno. A cirurgia vem sendo adiada dia a dia. Situação muito desesperadora. Essa minha tia, é a Teresinha Vieira autora do livro Causos e Contos da Coxilha Rica.

Não sabemos mais a quem recorrer. Pois os pacientes do COVID 19 tem sido a prioridade, e a preocupação são quanto aos pacientes de outras doenças de urgência como ficarão? Cirurgias que são vitais?

Hampel Vieira