Vereador Lucas expõe a situação precária da Apae

Na última sessão da Câmara o Vereador, Lucas Neves (PP) fez um pedido de informação à prefeitura para saber as razões que levaram o poder público a reduzir os repasses para a Apae que hoje passa por grandes dificuldades financeiras.

Não ter recursos nem para comprar combustível para o transporte dos alunos. Lembro que recentemente, graças a emenda parlamentar conseguiu um novo ônibus, mas este não está conseguindo circular. Apenas os pais que tem recursos estão levando os filhos à instituição todos os dias. Além disso, pela primeira vez, nestes 25 anos de atuação da Apae de Lages, neste mês de fevereiro está atrasado o pagamento de seus funcionários.

Segundo Lucas, a instituição atende hoje 326 alunos. Até a pouco tempo recebia R$ 53 mil por mês e esta ajuda caiu para R$ 30 mil fazendo com que tivesse de reduzir os atendimentos em 60%.

Os serviços de fisioterapia e fonoaudiologia fornecidos aos alunos podem ser reduzidos ainda mais. A prefeitura deixou de repassar 5 mil para o transporte, mais 12 mil para ajudar no pagamento dos profissionais além de reduzir o repasse dos atendimentos a saúde.

O vereador quer saber os motivos que levaram a prefeitura a reduzir os repasses, o que está sendo feito para auxiliar a instituição e porque o pagamento está sendo feito com atraso.

Lucas1.jpg

“Se o município não pode oferecer estes serviços na rede pública, tem de ajudar. Não é possível permitir que a Apae reduza os serviços por falta de ajuda,” disse o vereador Lucas.

Não é a primeira vez que a situação da Apae vem a público depois do marco regulatório mas, me parece, que apesar das dificuldades ainda vinha conseguindo driblar a crise que culminou agora com esta situação.

Ao expor esta situação e pedir informações da prefeitura, Lucas expõe também as dificuldades de diálogo dentro do partido, visto que o PP é governo e responde, inclusive, pela pasta da Saúde. Se ele não consegue dialogar com a administração e buscar diplomaticamente uma solução não creio que alguém consiga a menos que passe por cima do PP no governo.

Carmen admite que há grande pressão para que concorra a prefeita em 2020

A deputada federal Carmen Zanotto chamou a imprensa para fazer um balanço de suas atividades na Câmara dos Deputados e conversar a respeito das demandas. Por conta da sua atuação em várias frentes, especialmente ligadas à saúde ela tem estado presentes em muitos locais e reconhecida como uma deputada muito atuante.

cafa__.jpg

Ela falou sobre a expectativa para este mandato e das dificuldades que o presidente Bolsonaro terá para aprovar a reforma da previdência, sobretudo. Indagada da sua disposição de concorrer à prefeitura, Carmen não descartou a possibilidade, mas não se mostrou muito empenhada nisso.

A grande verdade é que ela sabe que acaba sendo muito mais útil a Lages como deputada do que administrando o município. Confessa que a pressão para que isso aconteça é grande. Se virá disputar a sucessão de Ceron interrompendo o mandato pela metade é algo que não está na sua agenda neste momento. Especialmente sendo a única serrana na Câmara federal.

Das pautas da região nesta legislatura, Carmen pretende trabalhar especialmente na concessão da BR 282 que está precisando de melhorias, incluindo sua duplicação. Hoje ela atua no sentido de reverter a medida do governo Temer de cortar os recursos para as rodovias.

No caso da BR 282, Já foi descartada a possibilidade de ser incluída no mesmo pacote de privatização da BR 470. Portanto é preciso um trabalho firme de nossos representantes para que a proposta seja viabilizada. Só em emendas, ela designou cerca de R$ 60 milhões para a região e R$ 35 milhões para Lages até agora. Sendo que recentemente repassou R$ 3 milhões apenas para as cirurgias eletivas.

 

cafa__.jpg

Conversando sobre a estrutura de atendimento à saúde em Lages, lembrou que em todas as unidades hoje conta com médico e ela já está trabalhando as alternativas para melhorar e avançar no serviço de radioterapia. Admite que não será fácil colocar a nova ala do Hospital Tereza Ramos em funcionamento, isso porque não se conhece qual a política que será adotada pelo próximo governo e ainda não foi definido o sistema de gestão se os funcionários serão contratados ou os serviços serão terceirizados.

Só isso já deverá consumir tempo e discussões. Entende que a administração municipal deve também se envolver no processo, mas acredita que mesmo com a desativação da ADR, o governo deverá manter aqui pelo menos duas gerências: da Saúde e da Educação.

Carmen admite que há grande pressão para que concorra a prefeita em 2020

A deputada federal Carmen Zanotto chamou a imprensa para fazer um balanço de suas atividades na Câmara dos Deputados e conversar a respeito das demandas. Por conta da sua atuação em várias frentes, especialmente ligadas à saúde ela tem estado presentes em muitos locais e reconhecida como uma deputada muito atuante.

cafa__.jpg

Ela falou sobre a expectativa para este mandato e das dificuldades que o presidente Bolsonaro terá para aprovar a reforma da previdência, sobretudo. Indagada da sua disposição de concorrer à prefeitura, Carmen não descartou a possibilidade, mas não se mostrou muito empenhada nisso.

A grande verdade é que ela sabe que acaba sendo muito mais útil a Lages como deputada do que administrando o município. Confessa que a pressão para que isso aconteça é grande. Se virá disputar a sucessão de Ceron interrompendo o mandato pela metade é algo que não está na sua agenda neste momento. Especialmente sendo a única serrana na Câmara federal.

Das pautas da região nesta legislatura, Carmen pretende trabalhar especialmente na concessão da BR 282 que está precisando de melhorias, incluindo sua duplicação. Hoje ela atua no sentido de reverter a medida do governo Temer de cortar os recursos para as rodovias.

No caso da BR 282, Já foi descartada a possibilidade de ser incluída no mesmo pacote de privatização da BR 470. Portanto é preciso um trabalho firme de nossos representantes para que a proposta seja viabilizada.

Só em emendas, ela designou cerca de R$ 60 milhões para a região e R$ 35 milhões para Lages até agora. Sendo que recentemente repassou R$ 3 milhões apenas para as cirurgias eletivas. Só neste ano repassou R$ 8,8 milhões somente para Lages. É um volume significativo de recursos que se perderia se não tivéssemos um deputado federal.

 

cafa__.jpg

Conversando sobre a estrutura de atendimento à saúde em Lages, lembrou que em todas as unidades hoje conta com médico e ela já está trabalhando as alternativas para melhorar e avançar no serviço de radioterapia. Admite que não será fácil colocar a nova ala do Hospital Tereza Ramos em funcionamento, isso porque não se conhece qual a política que será adotada pelo próximo governo e ainda não foi definido o sistema de gestão se os funcionários serão contratados ou os serviços serão terceirizados.

Só isso já deverá consumir tempo e discussões. Entende que a administração municipal deve também se envolver no processo, mas acredita que mesmo com a desativação da ADR, o governo deverá manter aqui pelo menos duas gerências: da Saúde e da Educação.

Desembargador denunciado por advogado lageano foi afastado do TJ

Lembram-se daquele desembargador, cujo advogado lageano Felisberto Córdova o desacatou em pleno julgamento acusando-o de receber propina, literalmente vendendo o resultado de uma ação?

Sem_t__tulo.jpg

 

O advogado Felisberto Odilon Córdova foi corajoso, mas sua ação acabou desencadeando o processo que levou a aposentadoria compulsória do desembargador. Só assim para varrermos a corrupção neste país e que impregna todos os poderes.

Leia o que diz a matéria do TJ:

 

IMG_20180615_WA0071.jpg

Aulas suspensas por três dias em São Joaquim

Prefeitura de São Joaquim suspendeu as aulas da rede municipal nesta segunda-feira e pelos próximos dois dias (29/30). NO decreto assinado hoje suspende também o transporte escolar, que atende alunos da rede estadual de educação.

O secretário de Educação de São Joaquim, Fabiano Padilha, explica que esses decretos são de extrema necessidade, pois com a paralisação dos caminhoneiros, insumos básicos como combustível, gás e alimentação podem faltar durante a semana. 

“Suspendemos as aulas nas escolas das redes municipais urbanas e rurais, nos próximos dias, também ficam suspensas as aulas, isso não acarretará em prejuízos para os alunos, pois vamos repor essas aulas no município” explica Fabiano.

 

Simproel esclarece a respeito da assembléia

Sra. Olivete Salmória, Sobre a matéria intitulada “Simproel vai pagar as rescisões trabalhistas CPP’s”, publicada em seu blog nesta quinta-feira (10), esclarecemos que: – O Simproel convocou uma assembleia para debater a questão que envolve professores que também ocupam o cargo de presidentes dos Conselhos de Pais e Professores (CPP’s), que respondem ações trabalhistas. A Assembléia deliberou e aprovou recursos para custear as despesas inerentes a defesa jurídica contra as ações trabalhistas que tramitam na Justiça. – Esclarece que a assembleia foi motivada pelas inúmeras solicitações de professores presidentes e/ou professores membros dos CPP’s das unidades escolares e que também são associados ao Simproel. – Portanto, o recurso aprovado pela Assembléia não será destinado para pagar rescisões trabalhistas como informa o blog, mas sim para custear a defesa jurídica dos professores que foram envolvidos indevidamente nas ações judiciais. Att, Sindicato Municipal dos Profissionais em Educação de Lages (SIMPROEL) Diretoria

Simproel esclarece a respeito da assembléia

Sra. Olivete Salmória, Sobre a matéria intitulada “Simproel vai pagar as rescisões trabalhistas CPP’s”, publicada em seu blog nesta quinta-feira (10), esclarecemos que: – O Simproel convocou uma assembleia para debater a questão que envolve professores que também ocupam o cargo de presidentes dos Conselhos de Pais e Professores (CPP’s), que respondem ações trabalhistas. A Assembléia deliberou e aprovou recursos para custear as despesas inerentes a defesa jurídica contra as ações trabalhistas que tramitam na Justiça. – Esclarece que a assembleia foi motivada pelas inúmeras solicitações de professores presidentes e/ou professores membros dos CPP’s das unidades escolares e que também são associados ao Simproel. – Portanto, o recurso aprovado pela Assembléia não será destinado para pagar rescisões trabalhistas como informa o blog, mas sim para custear a defesa jurídica dos professores que foram envolvidos indevidamente nas ações judiciais. Att, Sindicato Municipal dos Profissionais em Educação de Lages (SIMPROEL) Diretoria