A Celesc não está dando conta de restituir a energia no interior

O que está acontecendo com a Celesc que não está dando conta de restituir o fornecimento de energia no interior do município?

Há locais como Campina, acima de Lambedor, que está há uma semana sem luz. Desde a última grande tempestade na semana passada. Os moradores do interior tiveram de jogar fora tudo o que tinham na geladeira e freezer. Tem pecuarista que perdeu vacina e fertilizantes que precisam ficar estocadas na geladeira.

Em alguns locais estão também sem telefone, pois não pega celular e o fixo depende da luz. Em outros também estão sem água porque também depende da energia para encher as caixas.

É uma grande falta de consideração. A Celesc teria de pagar pelo prejuízo que está dando.

 

Vereador Ivanildo na noite de ontem (6), fez um requerimento, a Celesc sobre a falta de luz no interior: Lambedor, Campina Grande, Rancho de Tábuas, Coxilha Rica na localidade de São Jorge, Bodegão, Rincão do Perigo.

É, parece que a Celesc não está dando conta mesmo!

Processo criminal da Operação Fundo do Poço foi transferido para o dia 18

Segundo o colunista Moacir Pereira, a Sessão do Órgão Especial do Tribunal de Justiça que analisa o processo criminal relativo a operação Fundo do Poço foi suspenso e transferido para o dia 18 de novembro. A relatora do processo, desembargadora Soraya Nunes Lins.

Foram ouvidos nos autos, além dos 37 réus, outras 30 testemunhas de acusação e 284 testemunhas de defesa. O processo tem 22.748 páginas e 82 anexos físicos.

Tita está com a razão!

O presidente da União, Antonio Carlos Costa (Tita), sustenta que é contra o pagamento de um salário, pela municipalidade, aos presidentes de associações de moradores, como alguns dos presidentes desejam.

Tita destaca a necessidade de que a função continue com atuação voluntária e não remunerada pois se fosse diferente perderia o caráter de liderança comunitária. Ao invés de lideranças comunitárias os presidentes se transformariam em funcionários da prefeitura. Tem toda a razão!

Acil instalou sistema de energia solar fotovoltaica

A Acil investiu na instalação de um sistema de energia solar fotovoltaica. Uma alternativa para a redução de custos, pois possibilita a economia de até 90% na conta de energia, além de contribuir com a sustentabilidade do meio ambiente.

Ao entregar a obra, no dia 04 de novembro, o engenheiro Everaldo Wiggers, da Wiatec, explicou que o sistema implantado funciona como geração distribuída, ou seja, é gera a energia no local de consumo.

Os módulos fotovoltaicos captam a irradiação solar para gerar a eletricidade, e esta eletricidade é usada para alimentar equipamentos elétricos da associação. O excedente gerado será lançado na rede e transformado em créditos pela concessionária para ser usado em outros períodos.

Em entrevista ao CL, vereador Osni explica porque votou no aumento dos vencimentos dos vereadores

Trecho da entrevista concedida pelo vereador Osni Freitas (PDT) à jornalista Cláudia Pavão, do Correio Lageano:

Vamos falar um pouco do projeto que foi bastante polêmico e a população questionou. Com relação ao reajuste do salário dos vereadores. O senhor votou contra ou a favor, e por quê?

A favor, mas não só pelo vereador. Eu entrei com o projeto e discutimos em 16 vereadores. Eu disse para todos eles que eu não votaria se não houvesse o reajuste dos que ganham apenas um salário mínimo, para todos os servidores, porque era demais nós ganhando bem; todos os secretários, que ganham mais que os vereadores, recebendo  aumento e aqueles que ganham só o salário mínimo não ganharem nada de aumento. Discutimos e ficou tudo no mesmo pacote. Eu não tinha como votar contra, porque disse que votaria. Achei muito pouco o aumento aos servidores, aqueles que ganham apenas um salário mínimo. 

Mas e o percentual? No proporcional acaba sendo pouco para quem ganha menos? 

Nós, no caso, foi de 3% e eles de 4,5%. Todas as outras vezes votei contra o [aumento] do meu salário. Não tenho a política como profissão. Hoje, estava trabalhando com o caminhão. Entrei na Câmara para defender o povo. 

Qual o seu projeto de futuro, na política? Vai concorrer a reeleição?

A minha família, meus filhos e minha mulher não querem que concorra.  Mas até tenho vontade, porque antes não conseguia ajudar, e hoje, consigo ajudar muitas pessoas. Não tenho interesse em ficar rico, ou de me vender. 

Vereador Osni está questionando a respeito de ligação de água em “área verde”

Foto: Milton Wolff

Vereador Osni Freitas – Bugre (PDT), com a assinatura de mais 13 edis, está questionando o executivo:

Ligação de água em “área verde” e loteamentos irregulares em Lages. Questiona-se:

1 – Sabemos da grande quantidade de pessoas que possuem imóveis nestes locais, uma vez desligada a água na residência, não mais é possível fazer a religação. Existe alguma medida que pode ser tomada por estas pessoas para retorno do fornecimento?

2 – Considerando que grande parcela destas famílias mora no mesmo local há décadas, e diante de algum imprevisto financeiro acabam deixando de pagar a tarifa de água e como consequência ocorre o corte com a impossibilidade de religação, que medidas o município vem tomando neste sentido? Uma vez que sem água a permanência no local torna-se impossível gerando um problema social de habitação.

3 – Estas famílias que estão sem água, devido à impossibilidade de religação, terão alguma prioridade nos programas municipais de habitação?

4 – Desta feita, qual é o posicionamento da Semasa e Município de Lages sobre este assunto, quais medidas podem ser tomadas para aqueles que tiveram sua água cortada e que comprovadamente já residem no mesmo local há muitos anos?

5 – Há alguma política de conscientização para estas pessoas que moram nestas áreas acerca das consequências pós corte?

6 – A Semasa possui a informação de quantas residências no município estão nesta condição?

Menor cai de prédio em construção e morre

Henrique Furtado das Neves, de 13 anos, foi encontrado morto no fim da tarde desta quarta-feira (6), por operários de uma obra na Rua Leopoldo Steffen, esquina com a Campos Sales, Bairro Coral em Lages. Ele estava desaparecido desde terça (5).

A suspeita é de que o jovem tenha entrado pelo telhado ao lado da construção, um prédio de três de andares, e se desequilibrado. Ele caiu de uma altura de 13 metros, entre um tapume e a Rua Leopoldo Steffen.

Resposta do secretário a respeito da área da Sinotruk

Comentário do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Mário Hoeller de Souza a respeito do que foi publicado aqui sobre a destinação do espaço da Sinotruk às empresas que aguardam doação de terreno:

Não precisa ser muito bom em matemática ou logística para saber a resposta:
1) logística: as empresa que estão na fila de espera são de pequeno ou médico porte, qual seria o custo de transporte de funcionário e demais deslocamentos?
2) infraestrutura: quanto teríamos de investimento para viabilizar?
Água, energia, arruamento, enfim, uma conta que o município não teria como assumir neste momento.
Por lógica,bom senso e principalmente por ser justo, não é melhor buscar o que dita a lei ?
Portanto Olivete, você não precisa calar a pergunta, mas espero que também não cale a resposta

OBS: De fato, algumas empresas que receberam os terrenos e não o utilizaram também alegam que isso não aconteceu porque a prefeitura deixou de cumprir a sua parte. Isto é; dar infraestrutura para que pudessem se instalar lá nos terrenos dos distritos São paulo e São Francisco.