Colombo em quarto lugar na votação em Urubici

Urubicigovernador.jpg

 

EM  Urubici o candidato do MDB ao governo, Mauro Mariani ficou em primeiro lugar e com uma boa diferença de votos sobre o segundo colocado.

O que chama atenção é o alto índice de abstenções: 23,50% Acho que foi o maior até agora. 1.945 eleitores de Urubici não foram às urnas.

UrubiciSenado.jpgUm dos poucos, senão o único município em que Colombo não está em primeiro lugar entre os mais votados para o Senado.

Seu nome aparece em quatro lugar e Jorginho em primeiro.

Urubicifederal.png

Para deputado federal, a Carmen aparece em segundo lugar.  Valdir Colatto, que não se reelegeu foi bem notado na Serra. Em Urubici foi o mais votado.

UrubiciEstadual.jpg

Dirce foi a deputada estadual mais votada (também não se elegeu) e Gabriel aparece em  quarto lugar com pífios 291 votos, Lucas recebeu 202 votos. Thiago, então, nem aparece aqui, fez apenas 11 votos.

Políticos ausentes na inauguração do prédio da engenharia florestal, no CAV

dbd03895_dae2_40ca_8148_fcd455896f14.jpg

Foi inaugurado, nesta quarta-feira, pela manhã, o prédio do curso de engenharia florestal do CAV/Udesc, com a presença do magnífico reitor da Udesc prof. doutor Marcus Tomasi.  Ausencia dos representantes políticos, incluindo o prefeito Antônio Ceron. Somente o secretário regional, Juarez Mattos.

ce52a100_6127_49fe_88cb_7d7cdc9c94a1.jpg

Consta que o prédio levou 14 anos para ser concluído. Era promessa do governador a implantação de mais um curso na área de engenharia. Mas não veio.

 

d9d736aa_6973_407c_9d5f_061b10494b8a.jpg

Nome do arquiteto Rogério Macedo foi reverenciado, uma vez que foi um dos primeiros professores do curso.

Políticos ausentes na inauguração do prédio da engenharia florestal, no CAV

dbd03895_dae2_40ca_8148_fcd455896f14.jpg

Foi inaugurado, nesta quarta-feira, pela manhã, o prédio do curso de engenharia florestal do CAV/Udesc, com a presença do magnífico reitor da Udesc prof. doutor Marcus Tomasi.  Ausencia dos representantes políticos, incluindo o prefeito Antônio Ceron. Somente o secretário regional, Juarez Mattos.

ce52a100_6127_49fe_88cb_7d7cdc9c94a1.jpg

Consta que o prédio levou 14 anos para ser concluído. Era promessa do governador a implantação de mais um curso na área de engenharia. Mas não veio.

 

d9d736aa_6973_407c_9d5f_061b10494b8a.jpg

Nome do arquiteto Rogério Macedo foi reverenciado, uma vez que foi um dos primeiros professores do curso.

Godinho entrou na disputa substituindo um dos candidatos que teve o registro indeferido

Leia a ata da substituição do partido Patriota, assinada em setembro

 

ATA DE SUBSTITUIÇÃO DE CANDIDATOS DO PATRIOTA – PATRI 51

Aos 12 dias do mês de setembro de 2018,às 19hs, no Edifício Comercial Ravelo, situado na Rua Najla Carone Goedert, n. 27, auditório, CEP n. 88010- 320, Bairro Pagani, na cidade de Palhoça/SC,previamente convocados na forma do Estatuto, reuniram-se os membros da Executiva Estadual de Santa Catarina do PATRIOTA – PATRI, para, por delegação da Convenção Partidária, conforme ata devidamente protocolada no Tribunal Regional Eleitoral sob o recibo de n. 50085489f, o Presidente do PATRITOTA – PATRI, Ailson Barroso de Oliveira convocou para secretariar os trabalhos, Maurício Leal Junior, que iniciou os trabalhos para deliberar acerca das substituções dos seguintes candidatos: Alquile Censi – Deputado Federal (5150) ; Fernando Cordioli Garcia – Deputado Federal ( 5105); Angelita de Fatima de Lima – Deputada Estadual (51068); Jackson Rodrigo Cordeiro – Deputado Estadual (51017). Na ocasião o Presidente explanou os motivos pelos quais os candidatos estariam sendo substituídos e em seguida divulgou os nomes que iriam substitui-los. Ficando assim as substituições: o Senhor Alquile Censi – Deputado Federal será substituído pelo Senhor Sergio Jose Godinho, o qual irá concorrer com o mesmo número do substituído ( 5150); o Senhor Fernando Cordioli Garcia – Deputado Federal será substituído pelo Senhor Carlos Roberto Xavier Lacerda, que concorrerá com o mesmo número do substituído (5105); a Senhora Angelita de Fatima de Lima – Deputada Estadual (51068) será substituída pela Senhora Maria de Fatima da Silva que irá concorrer com o número 51691 e o Senhor Jackson Rodrigo Cordeiro, será substituído pelo Senhor Altair Mariano de Oliveira que irá concorrer com o mesmo número do substituído (51017). Todos os presentes aprovaram por unanimidade os nomes indicados. O Presidente agradeceu a presença dos membros da Executiva Estadual do Partido, bem com declarou encerrados os trabalhos do dia.

Carmen já voltou para Brasília na terça para continuar seu trabalho, agora com um respaldo maior dos eleitores catarinenses

0.jpg

Reeleita com 84.703 mil votos, a deputada federal Carmen Zanotto (PPS) reafirmou o seu compromisso com a Serra Catarinense e com Santa Catarina. Durante a comemoração que aconteceu em seu comitê a parlamentar agradeceu os votos que recebeu e disse que continuará trabalhando por mais recursos para a saúde, mas sem negligenciar outras áreas.

“Estou muito feliz em poder continuar trabalhando pela nossa região que manterá sua representatividade na Câmara Federal. Quero agradecer a todos os catarinenses, serranos e lageanos que confiaram, mais uma vez, no meu trabalho. E também a toda a minha equipe e a minha família que se empenharam para que a nossa caminhada fosse vitoriosa”, destaca a parlamentar.

Carmen ressalta que irá continuar trabalhando para que Santa Catarina receba mais recursos do governo federal para a saúde e aumentar a oferta de serviços aos catarinenses. Desta forma, diminuindo distâncias. 

0_1.jpg

Entre suas propostas ela defende a não criação de novos impostos e a diminuição dos existentes, o Pacto Federativo, o fortalecimento das políticas públicas para a primeira infância, o combate da violência contra a mulher, a diminuição das desigualdades sociais e a luta contra a corrupção.

Carmen Zanotto é enfermeira, foi Secretaria de Saúde em Lages, Secretária Adjunta da Secretaria de Estado da Saúde, ocupando o cargo de Secretária por diversas vezes. Também foi vereadora em Lages e reeleita como deputada federal.

Fotos: Silviane Brum

Em Otacílio Costa a abstenção foi menor do que em Lages: 18,51%

Otaciliogovernador.jpg

Merísio também foi o mais votado em Otacílio Costa. Mais de 400 votos de diferença do segundo colocado.

 

OtacilioSenado.jpg

Neste municípío foi Amin que fez maior votação para o Senado.

 

OtacilioFederal.jpg

Para deputada federal, Carmen Zanotto disparou na frente, embora este Carlos Roberto Xavier Lacerda, que não conheço tenha feito uma votação expressiva.

fernando.jpg

Carlos Roberto Xavier Lacerda foi o nome de urna do candidato Fernando Cordioli Garcia, do Patriota, uma vez que o registro de sua candidatura ainda está sob judice. Em Otacílio Costa ele levou 9,13% dos votos.

 

Otac__lioestadual.png

Gabriel foi o mais votado para deputado estadual, quase empatando com Marcius Machado. Mas Minotto e Julio Garcia também foram bem votados.

Até Kennedy Nunes teve mais votos que Lucas, Amarildo e Thiago em Otacílio Costa.

 

Ex-vereador Hampel explica seu posicionamento nestas eleições

Amigo é amiga, vamos incentivar quem está fraco a ficar forte e não quem está forte ficar fraco pra igualar. Os pobres precisam dos ricos, e os ricos dos pobres, oque temos que lutar é pra que o pobre tenha dignidade, e as gerações atuais e futuras tenham esperança e acesso a melhoria nas suas vidas. Entendeu meu amigo é amiga. Tem gente que tem de mais e quer mais e mais, esses tem que entender que tem gente que tem de menos. Mas só faremos mudanças nesse contexto fazendo o que tem de menos, vislumbrar a possibilidade dele crescer dignamente. O Serviço público teria que ter a sua força voltada pra dar condições de quem quer investir e desenvolver as suas ações de forma mais clara, rápida e precisa, mas, sem balcão de negócios “quase sempre” alguns agentes públicos querem entrar de sócio do empresário dando a contrapartida dividendos  púbicos. E ainda se acham os bons de negócio. O poder público tem o dever de trabalhar pra grande massa que são os pobres classe B, c e D, pois esses sustentam todo o sistema. Os moradores dos bairros, esses enchem a HAVAN de clientes, o povo dos bairros enchem os açougues, os Cinemas, as lotéricas, os transistores públicos, os postos de combustíveis…então é pra esse povo que a administração pública tem que caprichar e estruturar os bairros, iniciando de forma urgente uma correção, vejamos bem: faltam pavimentação nos 60% das ruas de Lages, 60%  das vias de Lages SC, são de pó e barro! Entendeu porque não votei pra as pessoas apoiadas pelo prefeito de Lages SC? Não é porque sou raivinha é porque não sou Maria vai com as outras, e me coloco no lugar desse povo dos bairros que estão sem as condições mínimas. Bairro Santa Helena 20 habitantes 3 ruas pavimentadas, bairro Guaruja 20 mil habitantes 3 ruas pavimentadas, bairro da Várzea 15 mil habitantes 2 ruas pavimentadas, parecem sítios adjacentes do centro e do Coral. Pavimentação deixou de luxo a mais de 20 anos. Uma casa de 100 mil numa rua de lodo, se pavimentada passa a valer 130 mil, valoriza o imóvel devolve a auto estima, melhora a saúde, dá ânimo…e eu que pensei que se o governador fosse lageano isso seria resolvido…mas, está na mesma! Pensem nisso, com carinho. 
 
Abraço do Hampel

Quer saber como votou o eleitor joaquinense?

S__oJoaquim.jpg

Gelson Merísio foi o mais votado e com quase 9 pontos a frente do segundo colocado, Mauro Mariani.

S__oJoaquimSenado.jpg

Ao Senado, Colombo levou mais de 8 mil votos em São Joaquim com 28,21% dos votos válidos.

 

S__oJFederal.jpg

Na votação a deputada federal, Carmen Zanotto foi a terceira colocada nas urnas de São Joaquim.

 

SaoJestadual.jpg

PP liderou a votação a deputado estadual em São Joaquim: Lucas foi o mais votado, mas João Amin ficou em sua rabeira. Gabriel obteve apenas o quinto lugar no ranking dos mais votados.

 

Ceron diz que “em princípio é contra a reeleição”

Prefe.jpg

Perguntei ao prefeito Ceron se ele cogita a possibilidade de um segundo mandato. Disse ele que, em princípio, é contra a reeleição. Citou o exemplo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que ao invés de fazer as reformas necessárias, “gastou todo o crédito político para conseguir o segundo mandato. E, aquilo que ele produziu serviu para eleger o adversário que ficou depois por quatro mandatos no poder”, citou Ceron.

Mesmo assim, ele não descarta esta possibilidade, mas “este é um assunto para discutir lá na frente”. Portanto, se não confirma, também não descarta esta possiblidade.

Dos 123 mil eleitores de Lages pouco mais de 98 mil foram às urnas

Em Lages, dos 123 mil eleitores aptos a votarem apenas pouco mais de 98 mil foram às urnas. A abstenção foi a maior já registrada: 20%. Que somados aos 8% de votos nulos e 7% de votos em branco, sobraram apenas 81,02% de votos válidos (79.742).

Com poucos votos e muitos nomes em disputa, acabaram pulverizados. Confirmou-se que sem os votos de fora não teríamos nenhum deputado eleito, nem mesmo a deputada federal Carmen Zanotto.

Dos 84.703 votos que recebeu, apenas 35.787 vieram das urnas de Lages. O único deputado estadual eleito, Marcius Machado (PR) fez 30.277 votos, mas em Lages, apesar de ficar a frente dos demais, conseguiu 23.474 votos.

Lucas Neves (PP) teve 26.794 votos e ficou na quarta suplência e fez apenas 18.310 votos aqui. Mesmo o candidato Thiago Oliveira (MDB) fez apenas 4.194 votos em Lages, dos 7.926 que totalizou. Até mesmo o vereador Bruno Hartmann (PSDB) fez em Lages a metade da votação: dos 5.841 votos que recebeu: 2.657 saíram das urnas locais.

 

Pesquisas realizadas pelo Instituto On Line – mas não divulgada -, já apontava há cerca de duas semanas que Marcius tinha 20% dos votos a deputado estadual e Lucas ficava na casa dos 18% e, em terceiro lugar, estaria o deputado Gabriel Ribeiro com cerca de 9%, bem próximo ao resultado das urnas.

Ainda bem que não ficamos sem representação, tanto na Câmara dos Deputados como na Assembleia. Pelo menos uma cadeira. Apesar de Lucas estar na suplência há pouca probabilidade de que venha assumir, a não ser que o candidato Gelson Merísio vença no segundo turno e chame quatro dos cinco deputados eleitos.

De qualquer forma, a representação serrana no legislativo foi menor do que a esperada pois se perdeu uma vaga importante no contesto, de Senador, com a derrota de Raimundo Colombo.

É preciso fazer o registro que em Lages ele foi o mais votado, obtendo 28,39% dos votos, pois 44.578 lageano votaram nele. 41.398 outros votaram em Esperidião Amin e 25.722 em Jorginho Melo.