Foram incineradas 3,5 toneladas de drogas

A Polícia Federal incinerou, na tarde de ontem (12), na unidade de Cogeração Engie, em Lages, cerca de 3,5 toneladas de drogas, provenientes de apreensões realizadas no segundo semestre do ano passado e no primeiro deste ano, em cidades de Santa Catarina. Os entorpecentes incinerados foram cocaína, maconha, crack, ecstasy, haxixe e LSD. Grande parte foi apreendido no porto de Itajaí e na Grande Florianópolis.

Schmuler recebe a segunda condenação e perda de mandato, assim como o vereador Renaldo

O juízo da comarca de Lages sentenciou novamente prefeito de Bocaina do Sul, Luiz Schmuler à perda da função pública por ato de improbidade administrativa. A decisão desta semana, um mês depois de julgado processo da mesma natureza, trata de troca de favores políticos com vereador Renaldo Basquerote Souza, para beneficiar o empresário Reni Basquerote Souza, irmão do edil. O legislador também foi condenado à perda do cargo.

Em ação civil de improbidade administrativa, o Ministério Público alegou que o vereador eleito em 2012, pela coligação de oposição ao prefeito, teria negociado voto na Câmara de Vereadores para eleger como presidente da Casa edil da situação. Em troca, haveria a liberação de desmembramento de terreno para a construção de um posto de combustíveis pelo irmão do vereador.

A combinação entre os dois teria sido feita antes da posse e eleição da mesa diretora. Como o vereador cumpriu o acordo, uma semana depois, o prefeito assinou decreto autorizando a separação das terras. Ficou comprovado nos autos que não havia amparo técnico e legal para divisão da área.

Com base na lei de improbidade administrativa, o juízo condenou o prefeito e vereador à perda dos cargos e a suspensão dos direitos políticos de ambos pelo prazo de cinco anos. O réu, irmão do vereador, fica proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios como incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de três anos. Além disso, os três réus terão que pagar multa civil equivalente a 10 vezes o valor da remuneração do prefeito à época dos fatos.

“O presente feito encontra-se na lista da Meta 04 do CNJ, que dispõe a necessidade do impulsionamento de todos os processos relacionados à corrupção e improbidade administrativa, pois tem prioridade para julgamento”, traz a decisão da Justiça. (Processo número 0900003-42.2015.8.24.0039).

Amures renova contrato com a Epagri

Foto: Oneris Lopes

O presidente da Amures em exercício prefeito de Bocaina do Sul, Luiz Carlos Schmuler iniciou na tarde desta quarta-feira (11), negociação com a gerencia regional da Epagri para renovação de Contrato de Prestação de Serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural. Os 18 municípios da Serra Catarinense devem tratar de forma separada seus convênios referentes ao exercício de 2020.

O presidente do Consórcio Intermunicipal Serra Catarinense (CISAMA), prefeito de Urupema Evandro Frigo Pereira e o secretário executivo da Amures Walter Manfroi acompanharam as tratativas com o gerente regional da Epagri José Márcio Lehmann. O valor do repasse das prefeituras é destinado ao custeio de despesas como manutenção do escritório da Epagri, dos veículos, impostos, taxas e da estrutura de apoio técnico administrativo.

Luiz Schmuler disse que a parceria com a Epagri é indispensável no fomento a agricultura e de novas tecnologias rurais nos municípios. “Só temos de trabalhar com valor dentro da realidade econômica de cada município, sem extrapolar ou majorar valor da renovação de convênio”, observou.

A partir desta reunião, a gerencia regional da Epagri vai abrir diálogo com os municípios na busca da renovação dos convênios.

Deputado foi agredido por manifestantes do “Lula Livre”

Depois de não aceitar assinar uma petição contra a prisão de Lula, o deputado Bruno Souza (sem partido) foi agredido por militantes do Lula Livre na frente da reitoria da UFSC, na capital.

Ele caminhava pelo local para conversar com os alunos participantes da greve dos estudantes quando foi abordado por um grupo de manifestantes. É impressionante a agressividade deste pessoal que não poupou o deputado e nem o seu assessor Guto Kuerten.

Hospital Tereza Ramos também passou por auditoria

Como era esperado, nesta segunda-feira a Controladoria Geral do Estado (CGE) realizou a auditoria, nos serviços terceirizados de lavanderia e locação de enxoval, realizados pela empresa Lavebrás, no Hospital Tereza Ramos.

A fiscalização verifica se o contrato está sendo cumprido e um dos quesitos é se os quantitativos dos serviços estão em conformidade com as despesas. Será realizada a conferência dos pesos das roupas que são recolhidas e também da roupa limpa que é entregue, pois o trabalho é pago de acordo com o peso. Também serão analisadas a embalagem e etiquetagem das roupas, entre outras atividades.

Quatro detentos morreram no presídio masculino este ano

Mais um detento morre no presidio de Lages. Ele foi encontrad\no morto em uma das celas do presídio Masculino, do Bairro Santa Clara, na manhã de ontem.

Em maio já morreram dois (se acredita que tenham sido execuções entre facções criminosas) e em julho outro (este se enforcou por ordem da facção) e agora se registrou o quarto caso, de Fábio Júnior Andrade Farias. Segundo o repórter Daniel Goulart, há suspeita de que este detento tenha morrido em decorrência da ingestão de droga durante a visita.

Disse ele também que sete pessoas já foram conduzidas ao hospital nestes últimos meses, sendo que em um deles foram encontrados celulares dentro do estômago. Isso significa que estão passando drogas e celulares durante as visitas.

Segundo o jornal Atualidades, o Otaciliense Fábio Júnior Andrade Farias, de 22 anos, morador de Otacílio Costa, cumpria pena no presídio onde veio a falecer depois de ter passado mau. O Samu foi acionado, fez o procedimento de reanimação cardiopulmonar (RCP), porém, não resistiu e entrou em óbito.

A perícia esteve no local e o corpo foi encaminhado para o IGP. Segundo informações da polícia, após necropsia, foi encontrado droga no estômago de Fábio. A Polícia Civil, já está trabalhando no caso.

“Se eu não fosse candidato teria votado em Lucas Neves também”, disse Bruno Hartmann

Parte da entrevista do vereador Bruno Hartmann ao Correio Lageano (jornalista Vinicius Prado)

Pessoas do seu partido, o PSDB, estão no governo municipal, e o senhor por vezes faz críticas ao trabalho do executivo. O senhor já foi criticado por isso, pelo executivo, ou por algum colega de situação?

Não, eu da base do governo nunca fui. Sempre fui oposição na sigla, mas nunca votei contra porque era oposição ou a favor porque era situação, voto de acordo com os meus princípios e deitando com minha consciência tranquila e votando sempre com o que acho que é melhor para a população e representando as pessoas que votaram em mim. Acho que não deveria existir as palavras oposição e situação, deveria um trabalho em prol único.

Em 2018 o senhor foi candidato a deputado estadual fez um total de 5.841 votos, esse número de votos, deixou o senhor frustrado, ou tomou como uma lição para as próximas eleições?

Na verdade ‘a gente’ saiu candidato aos 45 minutos do segundo tempo, fiz uma campanha baseada em Facebook. A verba que tinha para minha campanha era de R$ 20 mil, enquanto os outros candidatos tinham R$ 250 mil a R$ 300 mil. Fui muito bem votado, com as armas que tinha para a Guerra [Eleição], quase seis mil votos em um ano e meio de vida pública, sem dinheiro e com campanha no Facebook. Não tem como não citar o fenômeno do Lucas Neves que fez 26 mil votos, mas ele tem 10 anos de televisão no Estado inteiro, ele entra na casa da gente. Se eu não fosse candidato e da vida pública, teria votado nele também. Acredito que não decepcionei, pelo menos não me senti decepcionado, peço desculpa se decepcionei algum eleitor ou alguma pessoa.

O senhor, em 2020, pretende ser candidato a vereador novamente, ou vai tentar algo maior, como ser candidato a prefeito ou vice-prefeito? 

No momento não tenho pretensão de fazer parte do Executivo, nem como prefeito, nem como vice-prefeito, tenho muita vontade de ser deputado. Na eleição do ano que vem, a gente coloca na balança uma série de situações, mas sou candidato a reeleição. Mas meu sonho é ser deputado. A hora que eu for deputado, minha missão estará cumprida.

O senhor pretende ficar no PSDB, ou mudar de partido?

Não sei, já conversei com alguns partidos, mas nada concreto, gosto PSDB. Não adianta eu falar porque é muito cedo. Não sei te responder se vou continuar ou não.