Homem vai a júri por tentar matar três pessoas

Nesta terça-feira (22), um homem será julgado pelo Tribunal do Júri por tentativa de homicídio contra três vítimas. Os crimes têm as qualificadoras do motivo torpe, recurso que dificultou a defesa dos ofendidos e perigo comum. O fato ocorreu em 2016, no bairro Coral, em Lages. A sessão inicia às 10h e será presidida pelo juiz Geraldo Corrêa Bastos.

Na denúncia feita pelo Ministério Público, o réu caminhava pela rua quando avistou os três homens. Motivado por desentendimentos anteriores, atirou diversas vezes em direção às vítimas. Nenhuma foi atingida. Ele fugiu. Na casa onde foi encontrado pela polícia, no bairro Popular, estava com a arma usada no crime e mais de 40 munições intactas.

O julgamento é aberto pode ser acompanhado pelo público. Quem desejar fazer parte do Conselho de Sentença como jurado, em 2020, pode se inscrever no cartório da 1ª Vara Criminal até o dia 30 de outubro. Para integrar o conselho é preciso ter mais de 18 anos, não ter sido processado criminalmente, ter boa conduta moral e social e ser eleitor ativo.

Associação pede à Celesc que assuma a adequação da torre na avenida

Hoje protocolamos na CELESC carta resposta direcionada a Gerencia regional Lages.
Devido ao alto risco de acidente com pedestres e veículos, tornamos conhecimento da população:

O canteiro Central da avenida das torres é uma área pública, pertencente ao município, e a única instituição que o utiliza com fins lucrativos é a própria Celesc, que fatura com a linha de transmissão.

Não tem sentido pois que, a municipalidade, ou a comunidade, ou as empresas vizinhas assumam o custo da adequação dessa estrutura da Celesc, pois para elas a linha poderia simplesmente não estar ali.

Essa responsabilidade tem de ser assumida pela Celesc.

Então, o que viemos aqui agora, é REQUERER A RECONSIDERAÇÃO DA POSIÇÃO MANIFESTADA PELA CELESC NO E-MAIL, e pedir que este Núcleo Planalto manifeste-se acerca dessa necessidade, e que sejam realizados estudos jurídicos e uma reunião com a presidência da empresa, se necessário, para que ela, que é concessionária do serviço público e opera com licenciamento ambiental, se adeque ao plano diretor da cidade, e ao menos suas duas torres da linha de transmissão que passa pela Avenida das Torres, que estão desniveladas e sem manutenção de limpeza.

Precisamos aqui argumentar, que ao assim agir, a Celesc está violando o Plano Diretor da cidade de Lages, Lei Complementar nº 523 de 22.08.2018, pois essa, prevê, no artigo 23, que o município deve promover acessibilidade universal e mobilidade, reestruturação de localidades e implantação de elementos do sistema de circulação, humanização, eficiência e a segurança no trânsito com priorização da mobilidade dos pedestres, qualificação ambiental dos espaços abertos e vias de circulação.

E em vários outros artigos aborda as normas para as vias de circulação e áreas públicas, tais como nos arts. 25, 57, 59, 60, 66, 67, 81, 83, 105, 116, etc.

O que antes era um campo aberto particular é agora uma moderna via pública municipal cercada de empreendimentos e com enorme fluxo de pessoas vindas de todo o Estado e que inclusive correm risco de acidentes devido à atual situação, pois precisam contornar esses verdadeiros “morros” onde estão as torres para transitar entre um estabelecimento e outro, e pedestres necessitam cruzar com veículos em plenas vias de asfalto, com crianças e tudo mais, pois não se pode colocar uma lombada e faixas de segurança por causa dos obstáculos da Celesc, conforme demonstram fotografias.

AMBG – #juntossomosmaisfortes
Presidente: Luis Borges e equipe

Amures e Fecam capacitam assistentes sociais

Numa parceria do Sistema Amures e a Fecam acontece nesta terça-feira (22), no auditório da Câmara dos Dirigentes Lojistas – CDL, uma capacitação específica para Assistentes Sociais e Psicólogos.
Mais de 110 profissionais que atuam em unidades como Centro de Referência de Assistência Social – CRAS, Centro de Referência Especializado de Assistência Social – Ceras e na Gestão dos Serviços de Meia Complexidade de toda Serra Catarinense já se inscreveram para o treinamento sob a coordenação do Assistente Social da Amures/Cisama, Lauro dos Santos.
“Buscamos com esta ação, oportunizar a melhoria do processo de aprimoramento da gestão da gestão do Sistema Único da Assistência Social – Suas. O objetivo é qualificar os serviços, programas, projetos e benefícios sócio assistenciais”, explica Lauro dos Santos.

Técnicos da Secretaria da Saúde estiveram em Lages semana passada

Consta que técnicos da Secretaria estadual da Saúde estiveram em Lages na semana passada com objetivo de discutir questões relacionadas a nova ala do Hospital Tereza Ramos.

Esta informação nos dá um alento, visto que, pelo menos já está sendo estudada e planejada a ativação da ala.

Há várias questões a serem definidas desde as licitações para compra de equipamentos que faltam, conclusão dos 6% da obra que ainda restam, a definição de como será feita a contratação dos funcionários e a gradual ativação dos serviços.

Pela busca de uma unidade do Ceasa em Lages, mas o sistema anda mal das pernas

Em julho, o presidente da Acil, Sadi Montemezzo esteve com o secretário da Agricultura, Ricardo Gouvêa para buscar o apoio na implantação de uma unidade do Ceasa em Lages.  De acordo com o secretário Gouvêa, está sendo readequada a política de funcionamento do Ceasa, e destacou ao presidente da Acil que “a ideia é que após essa readequação se faça a interiorização do Ceasa, através da implantação de uma unidade em Lages”.  

O vereador Osny Freitas (PDT também vem trabalhando nesta ideia desde o início do mandato e está marcada para o dia 31 uma audiência para discutir o assunto. Até aqui parece que estaria bem encaminhada a proposta, especialmente porque desconhecíamos quais seriam estas readequações no funcionamento a que se referia o secretário.

Na semana passada, soubemos através do deputado Bruno Souza (sem partido), que a Ceasa acumula um prejuízo de R$ 5,6 milhões e gasta com a folha de pagamento de 40 funcionários R$ 140 mil por mês. Diz ele que atualmente funciona numa estrutura precária na Capital sem manutenção e com falta de investimento num terreno de dez hectares avaliado em R$ 200 milhões. São 150 empresas atacadistas e mais de 300 produtores locais com 300 empregos diretos e com uma movimentação comercial de R$ 1 bilhão e 350 mil toneladas por ano. O que o deputado estava propondo é a privatização da Ceasa.

Com a administração privada, empresários e produtores rurais, ganham maior liberdade no desenvolvimento e crescimento de negócios com os atacadistas e o mercado varejista. Em agosto um grupo de empresários apresentou para o deputado Bruno Souza o projeto arquitetônico com funcionalidade, com sistema integrado de produção e rastreabilidade dos produtos comercializados. A projeção é triplicar a movimentação de carga e reduzir os custos logísticos em 50%. 

Diante do que foi posto, acho que antes de qualquer coisa será necessário consultar o governo do estado para saber exatamente qual será a nova política que o governo está formatando para, a partir disso, formular uma proposta para Lages. Nesta audiência marcada para o dia 31 será necessária a presença de representante do governo.