Quatro mortes em acidente na BR 282

TRAGÉDIA

Acidente na BR-282 mata 4 mulheres na Serra de SC

Colisão aconteceu em São José do Cerrito; vítimas estavam em carro do PR

26/02/2020 – 08h01 – Atualizada em: 26/02/2020 – 09h33
Por Guilherme Simon
Acidente na Serra
Acidente aconteceu no fim da tarde desta terça, no km 279 da BR-282

(Foto: PRF, Divulgação)

Um acidente no fim da tarde desta terça-feira (25) na BR-282 em São José do Cerrito, na Serra catarinense, matou quatro mulheres e deixou um homem ferido. A colisão aconteceu por volta das 17h50min, na região do Salto dos Marianos, e envolveu um Ônix com placas de Dois Vizinhos (PR) e uma Toyota de Erechim (RS).

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o acidente aconteceu no km 279 da rodovia, e os veículos bateram de frente. As vítimas que morreram estavam no Ônix. São elas a condutora do carro, de 25 anos, e outras duas passageiras, ambas de 26 anos de idade.

https://www.nsctotal.com.br/noticias/acidente-na-br-282-mata-4-mulheres-na-serra-de-sc

Prefeito Tito aproveitou o feriado para expor sua frota adquirida nesta gestão

O prefeito de Capão Alto Tito Pereira Freitas aproveitou o feriado prolongado de Carnaval para expor nas margens da SC-390 ao menos 30 veículos adquiridos pela administração nos últimos três anos. O objetivo é prestar contas à população sobre onde estão sendo investidos os recursos públicos, segundo o prefeito.

Fotos: Oneris Lopes

Os veículos de uso das secretarias, utilitários, tratores, máquinas e implementos foram posicionados num pátio no acesso principal do município, no final da tarde de sexta-feira. E permaneceram no local até a tarde de terça-feira.
De acordo com o prefeito houve uma renovação completa na frota da prefeitura e a grande maioria das aquisições com recursos próprios. “No feriado há um grande fluxo na SC-390 e todas as pessoas que visitarem nosso município saberão onde estamos investindo”, justificou.
A renovação da frota ainda contemplará nos próximos meses, a compra de mais dois caminhões caçamba, uma retroescavadeira, um trator agrícola, dois veículos para agricultura e novos veículos para saúde.

Vereadora pede por mais segurança no interior do Cerrito

Quando o governador Carlos Moisés esteve nesta quinta-feira, 20, em Lages, recebendo autoridades e integrantes do partido, a vereadora de São José do Cerrito, Leila Pinheiro (PSDB) entregou um ofício, reivindicando mais segurança aos moradores da zona rural do município, que enfrentam roubos e furtos em suas propriedades.

 

Ela aproveitou o fato de ter recebido o convite para ingressar no PSL e ser a indicação deste partido à sucessão municipal para fazer um pedido a Carlos Moisés: “solicitamos ao governador uma estrutura adequada para a Base da Polícia Militar, assim como as patrulhas rurais e o aumento do efetivo, inclusive com uma policial feminina, bem como uma extensão da base do bombeiro do município de Lages”, comenta a vereadora. A população local é composta por mais de 9 mil habitantes, sendo que cerca de 78% da população reside no perímetro rural, tendo como economia a produção de leite, queijo, hortaliças, frango caipira, entre outros produtos de subsistência.

Entretanto, nos últimos tempos, a população rural vive refém das ações criminosas em suas propriedades, sem poder se ausentar para ir até o perímetro urbano da cidade ou até mesmo em outros locais, como suas lavouras, sem sofrer a ação dos bandidos que furtam e saqueiam.

O contingente da PM para atender os municípios da Serra é muito pequeno e nem os vários concursos abertos nos últimos tempos conseguiu preencher as baixas decorrentes do fato de que muitos foram para a reserva. Em Lages, a patrulha rural da PM tenta combater os furtos no interior, especialmente de gado, mas mesmo assim é muito difícil dar cobertura em uma área rural tão vasta. Vamos ver se Moisés vai responder a este apelo, agora de uma sua correligionária.

Para quem não sabe, saquear carga de caminhão tombado é crime

Conforme relato da PRF, dezenas de pessoas tentaram saquear a carga de uma caminhão carregado de cerveja que tombou na BR 470. Mesmo com a chegada dos agentes, um jovem de 18 anos e um homem de 47 continuaram a cometer o crime. Saquear carga é considerado furto, com pena prevista de um a quatro anos de prisão. Porém, pode ser convertida em multa quando o réu é primário.

O rapaz teria desacatado a PRF e foi detido por este motivo e pelas mercadorias furtadas. O homem de 47 anos também foi encaminhado à delegacia de Rio do Sul por furto e resistência. Ainda de acordo com a PRF, as caixas que permaneceram intactas foram levadas por outro caminhão e uma parte, que não pôde ser aproveitada pela empresa, foi cedida para os populares.

Os envolvidos foram encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil em Rio do Sul, onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante.

O que pensa o paisagista oficial da prefeitura

“Transitar por um lugar que só tem calçadas é uma coisa, agora onde tem flores, onde enche os olhos das pessoas, é muito melhor. As flores valorizam a cidade, melhora a autoestima e o psicológico da população, além de atrair turistas”

Engenheiro agrônomo da Secretaria de Serviços Públicos, Giovanni Tomazelli ao destacar que a cidade está muito mais colorida com o plantio de flores nas avenidas

Padronização das calçadas em debate na Câmara

A vereadora Aidamar Hoffer  pretende convidar o secretário de Planejamento e Obras, João Alberto Duarte; o gerente de Acessibilidade da referida secretaria, Volsiú Waltrick; e o diretor de Urbanismo e Planejamento, Roberto Provenzano, a irem à Câmara explanar sobre a padronização e atualização dos modelos das calçadas no município de Lages.

Antigamente havia a lajota do pinhão que acabava “debulhado” com o tempo e cujo modelo foi abandonado. Hoje, cada um faz sua calçada da forma que desejar, mas há entendimento de que precisa haver um padrão.

 

Reclamação de um usuário do transporte coletivo

Um “descaso” com os usuários de uma linha da empresa transul. A linha “Guarujá/Moradas Lages,” com saída às 07:15 da manhã do condomínio. Quando esse coletivo passa entre os bairros Gethal e Dom Daniel, o coletivo já está super lotado. Os passageiros já têm que ficarem nos degraus do ônibus, contrariando todas as normas de segurança. Quando reclamamos, o funcionário que responde pela empresa afirma que já levou o caso até a direção, mas que, não há reclamações o suficiente para que providências sejam tomadas. Neste horário, alunos usam também o coletivo, o que aumenta a superlotação e os riscos também. Há dias atrás, uma senhora ficou presa na porta, a reação dos responsáveis, foi a de que ela não deveria ficar nos degraus. Temos horário para trabalhar. Não escolhemos o quanto iremos pagar pelo transporte. Então o que queremos é o mínimo de dignidade. Foi sugerido a disposição de um outro carro, com saída do supermercado Jeremias. Segundo a empresa, isto está em estudos, enquanto a população paga a conta, sem ter com quem reclamar.

Pastor Bento Alves Pereira