Odila: “minha equipe é técnica e competente”. Não foi cometido nenhum ato ilícito, diz ela

Falando a respeito do conteúdo do relatório final da CPI do Pronto Atendimento ao Correio Lageano, a secretária da Saúde, Odila Waldrich disse que as acusações são muito graves e que os supostos crimes precisam ser provados. 

A CPI está pedindo a sua exoneração, como de duas outras funcionárias da saúde. A secretária afirma que é o prefeito que vai avaliar se alguém será exonerado. 

Odila frisa que está com a consciência tranquila, pois sabe que não cometeu ato ilícito. Conta que em janeiro, ela e sua equipe descobriram o desvio de medicamentos e na época foi registrado um boletim de ocorrência na delegacia.

Além disso, abriu uma sindicância interna para apurar o ocorrido e responsabilizar os autores. “Minha equipe é técnica e competente. O que temos que fazer agora é esperar a investigação do Ministério Público, que é o órgão capaz de investigar”.

Sobre os casos de homicídio culposo (que não há intenção de matar), em que alguns médicos são acusados pela CPI, a secretária destaca que esses crimes precisam ser provados. “São acusações graves, que necessitam de provas. Os médicos já buscaram seus advogados e nós também”.

A Polícia Civil de Lages também contará com ajuda de cães

O novo delegado regional, Fabiano Schmitt informou em entrevista ao Correio Lageano que já está em andamento com a possibilidade de ser implantado até o final do ano, de um canil da Polícia Civil. Entende que isso agregará valor às investigações.

“Nas buscas de apreensão, o cachorro é um gênio imprescindível”, diz ele. O projeto do canil não é apenas para procurar entorpecentes mas também para localizar pessoas desaparecidas. Hoje são bem conhecidas as habilidades do cão para tais ações. 

Marcius quer criar um um Fundo Estadual de Proteção Animal

No encontro que reuniu os deputados estaduais na Casa D’Agronômica, na quarta-feira (14), o deputado Marcius Machado (PL) apresentou a proposta ao governador Moisés da Silva (PSL) para a criação de um Fundo Estadual de Proteção de Animal.  

O parlamentar já havia solicitado ao secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, um estudo de viabilidade da criação do fundo, ele explica que a conversa com o governador reforça sua busca pelo bem-estar animal.  

“A proteção aos animais é um avanço, não podemos mais ver agressões ou maus-tratos e simplesmente fingir que o problema não é nosso. A responsabilidade é de todos, conto com o apoio das protetoras e do próprio governador para conquistar o melhor para os nossos animais”, enalteceu o deputado Marcius.  

A criação de um fundo estadual de proteção e bem-estar possibilitará a captação de recursos para ações voltadas à causa, através da implementação de políticas públicas com diversos fins, como evitar o atropelamento de animais silvestres, castrações e também as medidas preventivas de zoonoses e outras moléstias em relação aos animais abandonados.

A melhoria da BR 282 foi abordada durante o café da manhã com Bolsonaro

“Mostramos ao presidente e também ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, a necessidade de melhorias na BR 282 entre Florianópolis e Lages, onde as colisões frontais e a dificuldade de transitar na rodovia são muito acentuadas, inclusive destinamos recursos orçamentários para este trecho por meio de uma emenda parlamentar para o ano de 2020”, ressalta Carmen Zanotto, após participar, juntamente com a bancada catarinense, do café da manhã com o presidente Bolsonaro, nesta quinta-feira.

Além de melhorias na BR 282, a deputada reforçou a necessidade da federalização da rodovia Caminhos da Neve, que liga a Serra catarinense ao Rio Grande do Sul, em especial a ponte das Goiabeiras.

Como parlamentar da área da saúde, a  deputada Carmen Zanotto apresentou ao presidente Bolsonaro  a situação dos tetos financeiros e do “per capita”, pois Santa Catarina comprovou que teve um teto financeiro estourado, parte desses recursos foram recuperados, mas ainda existe um crédito.

“Continuaremos com a pauta das diferenças per capitas entre os três estados do Sul. Santa Catarina está fazendo a sua parte, portanto, precisamos do devido reconhecimento e dos recursos necessários para fazer frente aos exames de média e alta complexidade, assim como os procedimentos de cirurgia e oncologia e do total de serviços prestados sendo remunerados devidamente”, conclui a parlamentar.

Entre os pedidos da bancada catarinense estão as obras de infraestrutura rodoviária, com prioridade para as BRs 470, 282, 280, 163 e 285; além de Contorno Viário da Grande Florianópolis; e barragens de contenção de cheias.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno; da Secretaria de Governo, Eduardo Ramos; da Secretaria da Presidência da República, Jorge de Oliveira também participaram da reunião.

200 policiais estão envolvidos na Operação Stricke para desbaratar o tráfico de drogas na Serra e capital

A Polícia Civil de Santa Catarina desencadeou nesta sexta-feira (16) a Operação Stricke contra o tráfico de drogas em cidades da Serra e da Grande Florianópolis. Estão sendo cumpridos 53 mandados de prisão e 62 mandados de busca e apreensão.

A coordenação é da Delegacia de Polícia de Bom Retiro. Foram mobilizados 200 policiais. Há buscas em Bom Retiro, Alfredo Wagner, Ituporanga, Palhoça e São José. Os números preliminares pela manhã indicam ao menos 29 pessoas presas. A Operação é realizada com o apoio da Polícia Militar e do GAECO de Lages.

Segundo o delegado da DP de Bom Retiro responsável pela Operação, Ricardo Guedes, foram dois anos de investigação contra o bando por organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico. O delegado destaca a importância da ação conjunta com o Ministério Público de SC no caso por meio de um PIC (Procedimento Investigatório Criminal).

“A base da organização criminosa era Bom Retiro, mas havia ramificações também na Grande Florianópolis. Apreendemos na ação de hoje armas, drogas e balança de precisão”, assinalou o delegado. Os presos deverão ser encaminhados para o sistema prisional em Lages. Houve atuação também do Canil da Polícia Civil de Campos Novos, do Canil da PM e do SAER da Polícia Civil.

É uma mega operação em que foi utilizado até helicóptero.

Justiça recebe denúncia contra comerciante que matou a família em Alfredo Wagner

A Justiça recebeu nesta quinta-feira (15/8) denúncia contra o comerciante acusado de matar uma família em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis, em ocorrência registrada na última sexta (9). Agora réu no processo, ele responde pelos homicídios de três vítimas: um homem, uma mulher e o filho do casal, de apenas oito anos. Segundo a denúncia do Ministério Público (MP), as mortes foram provocadas com golpes de instrumento contundente ou corto-contundente na região da cabeça das vítimas.

A peça aponta que os delitos foram cometidos por motivo fútil, visto que o denunciado era conhecido das vítimas e tinha desavenças com o casal em decorrência de uma dívida. A acusação também atribui as qualificadoras de meio cruel e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa das vítimas. O MP acrescenta, ainda, que por duas vezes o acusado agiu de forma a assegurar a impunidade de outros crimes, além de que uma vítima tinha menos de 14 anos e outra, mais de 60 anos de idade. Por fim, a promotoria requer o andamento do feito e o julgamento do acusado perante o Tribunal do Júri.

O processo tramita na comarca de Bom Retiro. O juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior, responsável pelo recebimento da denúncia, também determinou o prazo de 15 dias para que a autoridade policial cumpra uma série de diligências complementares a pedido do Ministério Público. Entre outras medidas, deverão ser realizadas perícias em um celular e em objetos apreendidos, além de ser promovida a reprodução simulada dos fatos. A mesma decisão determina a quebra do sigilo de dados telefônicos e telemáticos, em período específico, dos celulares usados pelo réu e pelo casal de vítimas (Autos n. 0000555-83.2019.8.24.0009).

Aprovado projeto que proíbe a inauguração de obras públicas incompletas

O Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou em turno único, na sessão desta quarta-feira (14), o Projeto de Lei (PL) 5/2019, de autoria do deputado Jair Miotto (PSC), que proíbe a inauguração de obras públicas incompletas ou que não atendam o fim para o qual foram construídas. A proposta ainda terá a Redação Final votada antes de seguir para análise do governador Carlos Moisés da Silva (PSL).

“O poder público precisa melhorar sua imagem. É muito ruim para essa imagem a inauguração de obras que não são concluídas. Não adianta construir o prédio de um hospital e inaugurá-lo, sem que tenha os equipamentos e os profissionais necessários para o seu funcionamento”, comentou Miotto.

A proposta recebeu emenda do deputado Milton Hobus (PSD), que amplia o alcance do projeto aos demais poderes e órgãos do estado. Ela também especifica que a obra não poderá ser inaugurada sem as licenças e alvarás necessários para o funcionamento e se não contar com os equipamentos e pessoais essenciais para o atendimento ao público. Por esta lei, a Câmara de Vereadores de Lages não poderia estar funcionando em sua sede, pois até hoje não tem o “Habite-se”.