Amures pede ajuda de Brasília e pede que Defesa Civil Nacional faça uma visita à Capão Alto para ver os estragos

O presidente da Amures, o prefeito de Correia Pinto, Celso Rogério Ribeiro enviou um ofício ao secretário da Defesa Civil nacional, Alexandre Lucas Alves, solicitando ajuda aos 18 municípios da Serra para minimizar os impactos causados pelo desastre natural (CICLONE BOMBA), ocorrido dia 01 de julho de 2020. Observa que houve “destruição maciça em alguns municípios, como Capão Alto que teve mais de 70% das residências urbanas destelhadas total ou parcialmente e impactos avassaladores em edificações públicas (Escolas, Unidades Básicas de Saúde e CRAS)”.

Os prefeitos consideram fundamental que a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil – SEDEC faça uma visita técnica à região, “tendo em vista a compreensão da necessidade de resposta imediata aos danos causados pelo desastre e a reconstrução de moradias a centenas de famílias atingidas que encontram desalojadas.”

O prefeito Tito Pereira Freitas decretou Situação de Emergência e entende que a capacidade municipal está comprovadamente afetada visto que, o fenômeno causou danos materiais, ambientais e em especial, aos serviços essenciais.

O município depende nesse momento de auxílio nacional e assistência humanitária, com atendimento emergencial de cestas de alimentos e kits de abrigamentos entre outros, uma vez que as baixas temperaturas da Serra Catarinense nesta época do ano, contribuem para o agravo da situação calamitosa, no entendimento do presidente Celso Rogério.

4 comentários em “Amures pede ajuda de Brasília e pede que Defesa Civil Nacional faça uma visita à Capão Alto para ver os estragos”

  1. Lages fez um estardalhaço como cidade acabada com o ciclone, pura invenção. O que aconteceu foram mais casos pontuais e isolados. Os danos maiores foram com a rede elétrica por causa de galhos de árvores, isso sendo recuperados pela Celesc. Das mais de 100 cidades afetadas no estado lages deve ser uma das menos atingidas, aqui na Serra tem vários municípios mais atingidos pelo ciclone que Lages. Mas, porque essa divulgação massissa da prefeitura e usando a NSC como uma das cidades mais atingidas? Par suspender licitações, para tentar tirar dinheiro dos governos, dinheiro que é para atender as verdadeiras cidades atingidas, para justificar a inoperância do governo municipal. O que me impressionou mesmo, foi o secretário da defesa civil do estado, vir á lages no dia de ontem visitar a catastrofe que não aconteceu, e deixar várias cidades próximas a Florianópolis que sofreram de verdade os efeitos do ciclone. Com secretários como esse, o governo do Moisés está perdido.

    • Acho que vc deve se informar melhor Eduardo. Ninguém é tão desonesto assim, para brincar numa catástrofe dessas. E ainda, é claro que a prefeitura iria preferir divulgar que quase nada aconteceu por aqui, mas não, se divulgou os problemas foi porque existiram sim.

  2. Eduardo você deveria levantar a bunda do sofá, sair do centro e ver o que aconteceu na cidade. Se volumtarie na defesa civil e vá ajudar as pessoas atingidas garanto que sua opinião irá mudar. É bem mais fácil criticar com o fígado do que ajudar com o coração

Deixe um comentário