Projeto de duplicação da BR 116 foi discutido nesta segunda

Reunião realizada nesta manhã de segunda feira na Acil, para discutir o projeto de duplicação da BR 116, no trecho da área urbana de Lages.

A região será contemplada com 22 quilômetros, dos 85 previstos de duplicação e melhorias na BR englobando os municípios lindeiros da Serra Catarinense. Somente em Lages, a duplicação ultrapassa os 16 quilômetros, desde o acesso norte até o rio Caveiras, no sul do município.

O prefeito Antônio Ceron e a deputada Carmen Zanotto estiveram presentes e conhecera, parte do projeto, especialmente dos oito quilômetros no trecho que dá acesso a empresa Berneck.

O empresário Airton mostrou o projeto de acesso ao seu posto na cidade alta que poderá ser utilizado pela Berneck e a JBS.

Uma das questões em pauta foi o quanto esta obra impactaria no pedágio cobrado na rodovia. Obviamente que este investimento que a empresa Arteris fará para duplicar a rodovia terá de ser coberto de alguma forma.

A deputada federal Carmen Zanotto, disse que a duplicação deve facilitar os acessos e garantir um melhor fluxo e uma modernização em todas as cidades que ficam às margens da rodovia.

“Com as dificuldades de tráfego na BR, especialmente para os caminhões, estamos perdendo para outras regiões que possuem estrutura para atender a demanda. Nossa luta então, é para que essa duplicação aconteça da forma mais ágil possível”.

2 comentários em “Projeto de duplicação da BR 116 foi discutido nesta segunda”

  1. Com certeza não será o Japonês e ou Francisco que vão ganha a licitação para ampliar a 116. Pois será mera coincidência que é sempre os dois que ganha com alto custo e trabalho meia boca como o Calçadão fizeram um curral na entrada . O mercado público nem se fala. Quem sabe o próximo e ou próxima prefeita bota a baixo o curral do calçadão é coloca onde deveria estar na lateral. A e para finalizar o japa está também na praça da catedral. Porque será sempre os mesmos. A uma Boa auditoria nisso tudo.

  2. Vejam bem…estão projetando uma melhoria nos acessos da BR 116, apenas para beneficiar uma empresa que lá está se instalando. Tudo certo, deve mesmo ser feito êsses acessos. Agora a pergunta que não cala: Porquê nós contribuintes vamos ter que arcar com êsse custo, pois já estão planejando aumentar o valor do pedágio, se quem vai auferir os “lucros” advindos, será a prefeitura, com os impostos que serão gerados. Esta melhoria pode sim, ser feita, dêsde que a prefeitura arque com os custos, ou até a união, já que se trata de obras numa rodovia federal. Fica muito fácil fazer gentileza com o chapéu dos outros.

Deixe um comentário