Acho que o único erro do Calça foi não assinar o livro ponto

 O funcionário fantasma em questão é Ivone Rodrigues da Silva, o Calça Larga.

Mas tenho a dizer que ele sempre estava na prefeitura ou a serviço dela. Era ele que entregava os convites para todos os eventos da prefeitura (serviço que é realizado hoje pelo executivo de gabinete, Euclides Mecabô) e pode conferir com os presidentes de bairros que todos os contatos com as lideranças de bairros era feito pelo Calça.

Creio eu que o seu único erro foi achar que não precisava assinar o livro ponto, 

E fiquei até com pena dele, pois é um cara que nunca fez mal a ninguém é apenas apaixonado demais pelo MDB.

E, não sei de onde ele vai tirar este dinheiro para devolver se sustenta com o que consegue como motorista de táxi.

Soube nesta quinta-feira que nem táxi, o Vone Calça Larga tem mais.

10 comentários em “Acho que o único erro do Calça foi não assinar o livro ponto”

  1. Acho que vc não conhece o Calça Larga, pois nós todos sabemos que era ele que fazia a ligação dos nossos bairros com a prefeitura, todos sabem disso, muito prestativo, não tinha dia e nem horário , sempre estava a disposição.

  2. Pagar alguém pra fazer essa função. É rir da cara do contribuinte .tanto no caso do Sr calça larga .atualmente com Sr megabo. Tb é imoral. Não deu certo no meio ambiente. E continuar mamando. É brincadeira.

  3. O calça é um legítimo puxa saco emedebista sempre fazendo política pro seu partido mesmo tendo um cargo público.Ele não fazia nada além de fazer política.”Raposa velha”!!!

  4. O Calça, recebeu o que merece. Vi muitas vezas, na feira, mercado da rua São Joaquim, ele discursando e se achando o dono da verdade…

    Depois que perderam as eleições, o cara desapareceu… Quando dessa época, a família estava toda na prefeitura..

  5. Esse tipo de político está sendo extirpado aos poucos do cenário nacional. Não podemos mais tolerar essas práticas da antiga política. O serviço Público tem que ser encarado com seriedade e competência, chega do famoso “jeitinho”. O salário ao final do mês, nada mais é do que uma contra-prestação dos serviços prestados. Agora, eu me admiro é do superior hierárquico dele, porque não o avisou que sem assinar o ponto, poderia ter problemas? Se sabia, foi conivente.

  6. Amin, Jorge Borhause, Jean Loureiro e até o Moisés possuem estes fieis escudeiros ao seu redor, são mais vivos quie os lageanos, não trabalham, ganham e mesmo assim possuem a frequência comprovada, são espertos, será que só os lageanos são bobalhões nesta seara. Quando n~çao se elegem seus assessores recebem por times de futebol como Avaí ou Figueirense. A nova política sempre se igualou a velha.

Deixe um comentário