Comissionado recebeu durante quadro anos sem trabalhar

O juízo da Vara da Fazenda da comarca de Lages condenou um homem que ocupou cargo comissionado na prefeitura de Lages durante quase quatro anos – entre os meses de fevereiro de 2013 e novembro de 2016 – mas não compareceu ao local de expediente, cumpriu jornada de trabalho ou executou atividades ligadas a administração pública.

Ele terá de devolver o montante recebido no período assim como pagar multa civil de igual valor, em total que alcança R$ 425,8 mil, acrescido de correção monetária e juros de 1% ao ano.

A ação civil de improbidade administrativa foi ajuizada pelo Ministério Público. O processo diz que o comissionado ocupava a função de assessor especial de governo, com lotação inicial no gabinete do prefeito e posteriormente na Coordenadoria de Assuntos Comunitários e Voluntários de Lages, mas que nunca cumpriu suas obrigações contratuais em ambas as lotações. Após ouvir a defesa e 14 testemunhas, a justiça condenou o réu por improbidade administrativa, inclusive com a suspensão dos direitos políticos por oito anos. Ele pode recorrer da decisão.

Imagens: Divulgação/Prefeitura Municipal de Lages
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.

4 comentários em “Comissionado recebeu durante quadro anos sem trabalhar”

  1. Tem que condenar o Prefeito (Elizeu Mattos/Tonni Durte) e o chefe imediato da época que deixaram isso acontecer, ate porque esse cargo é ligado diretamente ao gabinete. Pura falta gestão e cuidado com o dinheiro publico

  2. Este que está sendo condenado trabalhava, toda Lages sabe , único defeito foi não ter assinado o ponto, faltou bom senso no julgamento, mas na atual administração tem muitos assinando o ponto e nunca trabalharam , na atual administração tem muitos que só assinam o ponto. E onde está o ministério público, onde está o promotor parcial …

  3. Este que está sendo condenado trabalhava, toda Lages sabe , único defeito foi não ter assinado o ponto, faltou bom senso no julgamento, mas na atual administração tem muitos assinando o ponto e nunca trabalharam , na atual administração tem muitos que só assinam o ponto. E onde está o ministério público, onde está o promotor parcial …

Deixe um comentário