A revitalização da praça João Ribeiro

O projeto de revitalização da praça João Ribeiro prevê a substituição das calçadas e de todo o piso por pedra basalto, a mesma da Praça João Costa. A Iluminação será em led e as árvores serão mantidas. O estacionamento em frente à Secretaria de Assistência Social será retirado para dar mais espaço aos pedestres.  Já temos pouquíssimos espaços para estacionamento no centro e agora mais um deles será eliminado. Lamentável!

4 comentários em “A revitalização da praça João Ribeiro”

  1. Precisa cortar as árvores, principalmente o Ligustrum, e colocar mais nativas e ornamentais…. Sou a favor do manejo racional de árvores, principalmente estas na praça João Ribeiro;
    Vamos arborizar mais a cidade, em ruas, casas, o cidadão precisa ser protagonista da cidade e não mero espectador, esperando tudo da prefeitura….. Parem de reclamar e façam algo de útil, começando pelo moradores do centro que não colocam o lixo na nova lixeira disponibilizada nas ruas.

  2. Lamentável o quê???
    Tem mais é que tirar os estacionamentos do miolo do centro sim.
    Quem faz compra é pedestre passeando e não gente dirigindo dentro dos carros!
    Deixem os carros mais longe e vão passear a pé!
    Mania desse povo querer estacionar dentro das lojas, não andam 400 metros que seja.
    O que podem fazer para melhorar o estacionamento do centro é voltar logo a área azul pra ter rotatividade nas vagas, porque do jeito que tá, tem muita gente que acha que comprou vaga privativa na rua, porque parece dono, pois estacionam no mesmo lugar todos os dias e o dia inteiro

  3. A cidade tem que dar preferência aos pedestres, e só mesmo tempo exigir da transul um transporte de qualidade para que as pessoas deixem mais o carro em casa.

  4. Lamentável mesmo é que às vésperas do ano 2020 tantas pessoas ainda pensem que o automóvel merece espaço em uma zona predominantemente peatonal. Isso só comprova que Lages ainda está congelada na década de 1980, enquanto o resto do mundo já está chegando em 2020. E mais lamentável ainda é que o povo não se sinta dono da cidade e da praça e deixe que a prefeitura faça o que bem entender da praça, apagando os desenhos e marcos históricos que lá estão há mais de 60 anos e muito contam sobre a nossa identidade e história.

Deixe um comentário