Debate sobre agricultura familiar aponta as demandas do setor

O debate que aconteceu na Câmara sobre Economia solidária e agricultura familiar apresentou algumas demandas que foram expostas pela engenheira agrônoma e organizadora da Agricultura Familiar, Josie Moraes Mota, tais como o pedido por mais infraestrutura para a exposição dos produtos nas feiras, disponibilização de profissionais para orientação na produção no campo, meios que facilitem à aquisição de implementos agrícolas e, principalmente, viabilizar a certificação dos produtos comercializados.

“A certificação agrega valor ao produto comercializado. Hoje nossos agricultores não podem pagar por essa certificação devido ao alto custo, por isso precisam ter acesso a um valor diferenciado. Outra questão é a necessidade de uma estrutura fixa nas praças da Catedral e do Terminal, para realização das feiras, que trazem produtos sem agrotóxico e direto do produtor para a comunidade”, frisou.

Vereador Ênio do Vime foi o proponente da audiência pública

Presidente da Associação Rural de Lages, Marcio Pamplona reforçou a importância da certificação dos produtos e da disponibilização de assistência técnica para que o produtor melhore a sua produção.

“A mão de obra familiar e o não uso de defensivos valorizam os produtos, mas precisamos ter uma certificação que ateste essa qualidade. Isso é uma forma de valorizar o trabalho do produtor, que precisa ser bem remunerado para se manter no campo, na sua propriedade”, comentou.

Deixe um comentário