Beatriz fala das mudanças que fez para melhorar o atendimento na UPA

Foto: Sheila Rosa

“Uma das soluções encontradas para melhor atender a população foi alterar a escala médica diária, ao verificar que a maior demanda é entre às 15h e 1h da manhã. Quando eu assumi haviam três escalas médicas diárias, com três profissionais em cada uma. Conversei com a equipe e tirei um médico da madrugada, que é quando temos o menor movimento, e botei no período da tarde. Ainda não está bom, mas já melhorou”, contou a diretora da UPA 24h, Beatriz Montemezzo, durante reunião com a direção da Acil, acrescentando que a UPA atende com 3 médicos das 8h às 14h; com 4 médicos das 14h às 2h; e com 2 médicos das 2h às 8h.

A diretora relatou ainda que nos primeiros 30 dias de funcionamento da UPA foram atendidos 9.034 pacientes, isso dá em torno de 300 pacientes por dia. Desse volume de pacientes, metade não precisaria estar na UPA, poderiam estar sendo atendidos em uma Unidade Básica de Saúde.

“Nós não podemos negar atendimento, o SUS é um direito de todos e dever do estado, então nós temos de nos organizar e atender”, declarou.

“A única maneira de mudar esse rótulo de que a UPA é difícil, é tratando bem, acolhendo, acalmando as pessoas. Essas são as angustias que eu sinto e que eu tenho multiplicado pra minha equipe. Nós temos que trabalhar de uma maneira que as pessoas venham pra cá e sintam-se seguras”, finalizou.

Deixe um comentário